Vasco Almirantes

O início 

Após disputarem o Ubá Bowl em Minas Gerais com o Blaze, na época No Pad, alguns jogadores decidiram se desligar e fundaram o Rio de Janeiro Patriotas. O time treinava no campo do CEFAP/CBMERJ, às margens da Avenida Brasil. Liderados por Felipe Rugboy, os atletas compraram seus equipamentos e começaram a planejar o primeiro torneio. 

A primeira competição

A estreia do Patriotas aconteceu no dia 21 de agosto de 2010, contra o Tritões, em Vila Velha/ES. O time da casa abriu o placar com o RB Jefferson. O ataque vascaíno cometia muitos erros e o Tritões aumentou a vantagem com um safety. Após uma interceptação, o ataque carioca se redimiu com um passe de 65 jardas do QB Roni para o WR Cubano. No segundo quarto, os ataques marcaram cinco touchdowns. Pelo Tritões, o QB Bruno correu para um e lançou outro para o WR Danilo. O Vasco marcou dois com Cubano e um com o TE Roldan, ambos com passes do Roni. O primeiro tempo terminou com o Tritões na liderança, 23 x 20.  

Após um show dos ataques, o terceiro quarto foi completamente dominado pelas defesas, que não cederam nenhum ponto para seus adversários. O placar voltou a se alterar no último quarto com um touchdown do RB Jeffinho para o Tritões e um field goal do K Vavo para o Patriotas, 30 a 23 para os capixabas. Precisando tirar a desvantagem, o Vasco tentou um onside kick, mas não obtiveram sucesso. Com a partida próxima do fim, o Tritões selou sua vitória com um touchdown do TE Dallas, 36 a 23. Esse foi início de uma das maiores rivalidades do FABR. 

Na partida seguinte, o Patriotas fez sua estreia no estado do Rio de Janeiro, jogou em Saquarema contra o São Paulo Spartans, que saiu na frente logo no primeiro drive. O Vasco empatou com o RB Vidal, mas cedeu outro touchdown após um punt errado, 13 a 7. O ataque vascaíno se ajustou e conseguiu virar a partida com touchdowns dos WRs Cubano e Manning, 21 a 13. No último quarto, a defesa carioca cedeu 45 jardas em faltas em um drive e o QB Peninha fez um passe para o WR Cueca anotar o touchdown, seguido de uma conversão de dois pontos, empatando a partida. Na prorrogação, o Spartans voltou marcar um touchdown, mas errou seu segundo extra point na partida, o que seria crucial. O Vasco precisava do touchdown e chegou a linha de 1 jardas com uma recepção do Rafael Manning. Com as descidas renovadas, o Patriotas colocou o LB Cris em campo para anotar o touchdown do empate. A vitória estava nos pés do K Vavo, que não desperdiçou a chance, garantindo a primeira vitória do Vasco da Gama Patriotas. 

O adversário seguinte foi o Tritões, mas dessa vez no Estádio do Ceres, em Bangu. O primeiro tempo foi quase que completamente dominado pelas defesas e a única pontuação aconteceu em seus segundos finais. Roni fez um passe de 40 jardas para Rafael Manning marcar o touchdown e Vavo finalizou com o extra point. No terceiro quarto, Vavo acertou um field goal, precedido de uma interceptação da defesa carioca. Pouco depois, o CB Luiz interceptou Roni e o QB capixaba, Bruno, não desperdiçou a chance e fez um passe longo para o RB Bods na end zone. Com poucos segundos para o término da partida, o Tritões tentou o empate, mas o licker José errou um field goal de 60 jardas. 10 a 7 para o Patriotas. 

Na segunda partida contra o Spartans, em Pouso Alegre/MG, Roni foi interceptado nos dois primeiros drives e viu o QB Peninha lançar para o WR Hainner abrir o placar. No segundo quarto, Roni liderou uma boa campanha, mas foi interceptado pela terceira vez dentro da red zone. Alguns drives depois, o Patriotas optou pelo jogo corrido e o RB Caio conseguiu anotar o touchdown, empatando a partida após o extra point. Desse momento em diante, o Spartans dominou as ações e marcou dois touchdowns com os WRs Jeff e Jesus. O Patriotas conseguiu um safety entre os touchdowns e deixou a partida em 20 a 9. O Vasco precisa correr atrás do prejuízo e acionou RB Caio, que com boas corridas entrou na end zone. A defesa carioca fez sua parte, forçou turnovers e não deixou o time paulista aumentar a vantagem. O empate e a virada vieram com dois field goal do K Cris, garantindo a vitória vascaína por 23 a 20. 

Na semifinal, enfrentou o São José Istepôs em Santa Catarina, que saiu na frente com um field goal. O Patriotas virou a partida com um touchdown no segundo quarto e um field goal no terceiro quarto. O time da casa não ameaçou muito no ataque e a partida se encerrou 9 a 3 para os vascaínos. 

A final do Torneio Touchdown aconteceu no dia 11 de dezembro, no estádio da Vila Belmiro, em Santos/SP, e o Patriotas enfrentou o Tritões pela terceira vez na temporada. Em uma partida sem brilho dos ataques, o único touchdown foi marcado pelo CB capixaba Saulo “Playboy” em um retorno de punt de 75 jardas, seguido do extra point do K José.  

A temporada de 2011 

O primeiro jogo pelo Torneio Touchdown de 2012 foi contra o Curitiba Hurricanes e foi marcado pela falta de momentos emocionantes, em parte por culpa do estado do gramado. O touchdown da vitória vascaína foi marcado pelo RB Leduc, ainda no segundo quarto, 6 a 0. 

Contra o Uberlândia Lobos, o ataque o Patriotas não teve dificuldades e o time venceu por 39 a 0, com touchdowns do RB Leduc (2x), FB Miguel Gomes, WR Rafael Manning, Tomás, LB Pablo e um field goal do K Ryan Homem. 

Em Brasília, teve dificuldades para vencer a forte defesa do Tubarões do Cerrado, que conseguiu anular o jogo aéreo vascaíno. Se Roni não conseguia avançar com os passes, Leduc conseguia por terra. No segundo quarto, o pequeno RB vascaíno anotou o único touchdown da partida. O Tubarões chegou a empatar a partida com dois field goals do K Bill, mas Roldan garantiu a vitória carioca no final um um field goal, 9 a 6. 

Contra o Jaraguá Breakers, o Patriotas começou em desvantagem após o QB Dennis Prants passar para o WR Everton Gnewuch anotar o touchdown. A resposta do Vasco foi imediata, o FB Miguel Gomes correu 3 jardas e empatou a partida, 6 a 6. A defesa carioca começou a pressionar Prants e, após um snap ruim, forçou um fumble e o CB Fabricio recuperou a bola na end zone. No final do segundo quarto, a defesa forçou um safety e aumentou a vantagem para 15 a 6. Para encerrar, o QB Roni passou para os WRs Manning e Netto anotarem seus touchdowns, fechando o placar em 29 a 6 

Na última rodada da primeira fase, jogou o primeiro clássico carioca nos gramados contra o Botafogo Mamutes. Com três touchdowns do RB Leduc e um field goal do K Ryan, o Vasco venceu por 24 a 13 e se classificou invicto para os playoffs. 

Jogando em casa contra os catarinenses do Corupá Buffalos, o Vasco abriu o placar com uma corrida curta do FB Miguel Gomes, com extra point do K Ryan. No segundo quarto, o Corupá encostou no placar com um touchdown do RB Júlio Francener e por pouco não virou no terceiro quarto, mas graças as faltas cometidas, não pontuaram. No final da partida, o Patriotas aumentou a vantagem com um touchdown do RB Leduc e uma conversão de dois pontos, vencendo a partida por 15 a 6. 

Na semifinal, enfrentou o Corinthians Steamrollers, dono do melhor ataque da competição. O time paulista começou melhor e foi para o intervalo vencendo por 14 a 0. No segundo tempo, o time paulista continuou dominante e marcou mais dois touchdowns, aumentando a vantagem para 26 a 0. Com uma atuação abaixo da média, o ataque vascaíno pontuou apenas no final da partida com o RB Leduc e perdeu por 26 a 7, sendo eliminado da competição. 

A segunda final nacional 

A temporada começou com um duelo contra o T-Rex, que começou perdendo após uma bela corrida do RB Leduc, seguido do extra point do K Ryan Homem. O Rex não conseguia avançar no ataque e constantemente era pressionado pela defesa carioca, que conseguiu um safety com o DE Viktor Costa no final do segundo quarto. No segundo tempo, o Vasco voltou melhor no ataque e marcou três touchdowns com Leduc, TE Paulo Abrantes e o WR Cubano. O Rex diminuiu com um touchdown de retorno do WR Anderson e uma conversão de dois pontos do QB Ivan, mas foi insuficiente, Vasco 28 a 8. 

Contra o Porto Alegre Bulls, o Vasco não teve dificuldades para alcançar a vitória. Com touchdowns do RB Leduc, WR Cubano, KR Felipe Fernandes (2x) e FB Miguel Gomes, o Patriotas venceu por 41 a 6. 

Fora de casa contra o Jaraguá Breakers, o Vasco teve muitas dificuldades. O time catarinense saiu na frente com um touchdown do TE Pinga, após passe do QB Diogo. Não demorou muito para o QB Roni encontrar o WR Lipe livre para anotar o touchdown, seguido do extra point do K Ryan. As defesas passaram a dominar as ações e limitaram os ataques ao field goal, convertido em duas situações pelo K vascaíno, que sacramentou a vitória por 13 a 7. 

Na partida seguinte, o Vasco não tomou conhecimento do seu adversário, o ABC Corsários, e venceu por 63 a 0, com touchdowns do WR Zani (2x), RB Neguinho, FB Miguel Gomes (4x), WR Daniel, QB Harrison. 

Embalado após quatro vitórias, o Vasco saiu na frente contra o Santos Tsunami com um touchdown do WR Lipe e outro do RB Caio Vidal, ambos com extra point do K Ryan, que também acertou um field goal no segundo quarto. Sem dar chances ao time santista, o Patriotas voltou a marcar com o Lipe, que fez um belo retorno de punt até a end zone, 23 a 0. No primeiro tempo. Com o placar elástico, o Vasco começou a testar seus reservas e marcou mais um touchdown com o QB Harrison. O Santos diminuiu no final, 30 a 6 para o Patriotas, que garantiu a vaga nos playoffs. 

Assim como na temporada anterior, o duelo contra o Botafogo foi equilibrado. As defesas começaram dominando os ataques e em uma das boas ações dos botafoguenses, o experiente QB Roni sofreu uma contusão no joelho e Harrison entrou no seu lugar. Com uma boa corrida, o QB reserva entrou na end zone e abriu o placar, mas o Botafogo virou com um field goal do K Pará e uma pick six do CB Mamede. As defesas conseguiram segurar os ataques e o placar se alterou apenas no último quarto, quando o Botafogo ampliou com o CB Tiaguinho, que recuperou um fumble, 16 a 7. Com pouco tempo no relógio e com o retorno do Roni, o Vasco partiu para cima e virou a partida com dois touchdowns do RB Raffael “Double F” e do WR Lipe, finalizando a partida em 22 a 16. 

Na última partida da temporada regular, voltou a enfrentar o Tritões, o que não acontecia desde a final de 2010. O Vasco saiu na frente com um field goal de 40 jardas do K Ryan Homem, mas a reação dos capixabas veio na sequência, o QB D’Angelo passou para o WR Cirilo virar a partida. No último período os quarterbacks fizeram a diferença, o Patriotas virou com uma corrida do Harrison e logo em seguida D’Angelo voltou a deixar o Tritões na frente com outra corrida, 14 a 10. Com paciência, Harrison liderou o avanço vascaíno e correu para mais uma virada. O Tritões teve duas chances de virar, em uma errou o field goal e, com segundos no relógio e sem tempos, foi parado na linha de 1 jarda e acabou sendo derrotado por 17 a 14. 

Enfrentou o Jaraguá Breakers na primeira partida dos playoffs e as defesas dominaram a partida, fazendo com que os ataques pouco produzissem. No final do segundo quarto, o Breakers saiu na frente com após o QB Diogo Fragoso conseguir um QB sneak na linha de 1 jarda, mas sem o ponto extra. Em um jogo dominado pelas defesas, bastava uma oportunidade para qualquer um dos times vencer e foi o que aconteceu no terceiro quarto. O Patriotas conseguiu o empate após uma ótima corrida do RB Leduc e virou com o extra point do K Ryan. O Breakers teve duas chances para virar a partida, mas o K Hoffmann desperdiçou dois field goals, um de 32 jardas e outro de 37 quando faltavam 30 segundos para o término da partida.  

Na semifinal, voltou a enfrentar o Tritões e o jogo foi duro. O time capixaba saiu na frente no primeiro período com uma corrida do QB americano Jon D’Angelo e o extra point do K José. No segundo quarto, foi a vez do QB Harrison correr até a end zone e empatar a partida após o chute do K Ryan. O terceiro período foi das defesas e a decisão ficou para o último quarto. Em mais uma boa jogada de Harrison, o Vasco virou com um touchdown do WR Rafael Manning e um extra point do Ryan. Com a vantagem, o time vascaíno soube administrar o relógio e se classificou para sua final nacional. 

Contra o Corinthians Steamrollers, o Vasco teve a oportunidade de abrir o placar, mas o K Ryan Homem errou o field goal, algo raro. O Corinthians apostou no jogo corrido e conseguiu dois touchdowns com o RB Passarela, seguido do extra point do K Marcelinho, e com o QB americano KC Frost. O Patriotas reagiu com uma pick six do LB Pablo, que interceptou Frost. No segundo quarto o QB americano passou para o WR Fratini aumentar e Ryan acertou um field goal, 21 a 10.  

Após o intervalo, Marcelinho acertou um field goal e pressionou o ataque vascaíno, que não conseguia passar pela forte defesa corintiana. Mais uma vez, foi a defesa carioca que voltou a pontuar, agora com um safety do LB Roldan. Ainda com chances na partida, o Vasco arriscou e acabou sendo interceptado pelo CB Chiplay, que correu até a end zone para selar a vitória do Steamrollers, 30 a 12. 

A temporada de 2013 

Na primeira rodada do Torneio Touchdown de 2013, o Patriotas viajou até Salvador para enfrentar o Vitória All Saints. O Vasco saiu na frente com dois field goal do K Ryan Homem e um safety após um punt malsucedido do Vitória. No segundo quarto, o Vasco ampliou com o WR Daniel. Depois do intervalo, o Vasco ampliou com o WR Double F, WR Zani e um safety da defesa, vencendo tranquilamente por 31 a 0. 

Contra o Minas Locomotiva, as duas defesas dominaram a partida quase por completo e o jogo corrido foi a principal opção dos ataques. No final, venceu os times que menos erraram e o Vasco foi melhor nesse quesito. Com muitas faltas, a defesa mineira cedeu um touchdown no início do segundo quarto, Roni conectou um passe para o WR André Luiz e garantiu a vitória dos cariocas, 7 a 0. 

Contra o Tubarões do Cerrado, o Patriotas voltou a ter dificuldade para vencer a defesa adversária. O jogo começou com a defesa vascaína forçando um safety e o K Ryan Homem acertando um field goal. O Tubarões virou a partida com o RB André Bertiling e jogou a pressão para o ataque carioca. No segundo tempo, o Vasco interceptou o QB adversário e o ataque não desperdiçou a oportunidade, Roni passou para o WR e reassumiu a liderança. Após o Vasco desperdiçar um field goal, o Tubarões teve a chance de virar no minuto final, mas a forte defesa vascaína impediu todos os avanços, garantindo a vitória. 

Contra o T-Rex, a defesa vascaína foi mais uma vez dominante e iniciou com uma interceptação do QB Bassani. O placar foi aberto com uma corrida de 1 jarda do FB Miguel Gomes. Faltando 20 segundo para o término do primeiro tempo, Bassani foi interceptado pelo LB Riva e Roni conseguiu levar o ataque até a linha de 35 jardas, o suficiente para Ryan acertar o field goal. No terceiro quarto o roteiro foi o mesmo, Bassani foi interceptado pelo LB Costão e o ataque chegou ao touchdown, dessa vez com o RB Caio, que voltou a marcar no último período, 22 a 0. No final, o Rex diminuiu com um touchdown do WR Jordan e uma conversão de dois pontos.  

Em anos anteriores, Vasco e Botafogo tiveram duelos bastante equilibrados, mas dessa vez a defesa e o ataque vascaíno estavam implacáveis. Com touchdowns do WR Daniel, RB Rômulo Ramos (2x), TE Bred, FB Miguel Gomes e WR Marcelo Mattos, o Patriotas venceu por 42 a 0, garantindo a vaga nos playoffs. 

Contra o Brasília V8, o confronto até começou equilibrado, mas o Patriotas não demorou para tomar o controle das ações e abrir larga vantagem. Com touchdowns do RB Rômulo (2x), RB Piter Damacino, WR Lipe e WR Rodrigo, o Vasco venceu por 43 a 6.  

Na última rodada, o Vasco enfrentou o Flamengo Imperadores pela primeira vez e não decepcionou os presentes. O Patriotas saiu na frente após Roni acertar um belo passe para o TE Bred, sem ponto extra. Com mais volume de jogo, o Flamengo se aproveitou da interceptação feita pelo S Slaxis e chegou ao empate com o WR Vinny e virou com o extra point do K/TE Cebola. Com muitos erros de ambas as partes no terceiro quarto, a partida foi definida no último quarto. O Flamengo ampliou a vantagem com Vinny, que mais uma vez recebeu um passe do QB Mamão. Abusando das corridas com o RB Rômulo, o Vasco chegou a end zone com o mesmo, mas não converteu os dois pontos e precisa arriscar. O time foi para o onside kick, recuperado pelo LB Pablo na linha de 45 jardas do ataque. Sem tempos para pedir, o Vasco foi para o field goal e errou. 

Nos playoffs, enfrentou o Corinthians Steamrollers, seu algoz nas últimas duas temporadas. Chovia muito durante a partida e os ataques não conseguiram desenvolver suas jogadas, que muitas vezes se encerraram em turnovers. No último quarto, o Corinthians teve a chance de vencer, mas o K/DE Verdugo errou o field goal. Faltando 12 segundos para o término da partida, o K Ryan acertou um chute de 45 jardas e garantiu a vitória vascaína. 

Na semifinal, o adversário foi o Jaraguá Breakers, time com o melhor ataque e defesa da competição. Empurrados por sua fanática torcida, o Breakers começou ganhando com um touchdown corrido do QB Julian Banks. O placar permaneceu inalterado no segundo quarto e em boa parte do terceiro, até Banks correr para mais um touchdown. O Patriotas não conseguia avançar, cometia muitas faltas e sofria com os turnovers. No final, o K/QB Jackson Kestring fechou o placar com um field goal, 15 a 0. 

Enfim, o primeiro título nacional 

O Patriotas começou a temporada vencendo o Juventude com facilidade, com destaque para a atuação do RB Rômulo Ramos e dos americanos estreantes Lucas Shaw, QB, e Joshua Canup, S. Com touchdowns do WR Lipe (3x), RB Rômulo Ramos (2x), WR Jonas, do S Joshua Canup e dois safeties, o Vasco venceu por 49 a 0. Contra o Brasília V8, o ataque carioca deu mais um show. Com touchdowns do RB Rômulo Ramos (2x), WR Rudá, TE Roni, QB Lucas Shaw, RB Leduc e WR Victor Santos, o Vasco venceu por 63 a 13 o V8, que diminuiu a desvantagem com dois touchdowns do WR Pedro Gonzalez. 

Contra o Tubarões do Cerrado, o Patriotas enfrentou certa resistência da defesa adversária. A equipe de Brasília começou melhor, mas logo os cariocas tomaram as rédeas da partida. Com passes rápidos e precisos, Lucas Shaw levou o time ao ataque e chegou ao touchdown com uma recepção do RB Leduc. O Tubarões empatou na sequência com uma corrida do QB americano Kerry King. Antes do intervalo, Shaw passou para mais um touchdown, dessa vez para o TE Roni. No segundo tempo, Shaw passou duas vezes para o WR Lipe aumentar a vantagem e sacramentar a vitória vascaína por 27 a 6. 

Na partida seguinte, o Vasco não teve muitas dificuldades para vencer o Santos Tsunami por 40 a 6, com touchdowns do WR Lipe, LB Pablo, WR Rudá, WR Thiago Barbosa, RB Rômulo Ramos e do RB Leduc. Pelo Santos, o retornador Fagner Santos descontou com um touchdown no retorno de kickoff. Contra o Corinthians Steamrollers, ataque e defesa voltaram a brilhar. Com touchdowns do FS Joshua Canup (2x), WR Lipe, QB Lucas Shaw, LB Sloan e Rômulo, o Vasco venceu por 36 a 6. 

No clássico contra o Flamengo Imperadores, o Vasco começou melhor com um touchdown do safety Joshua Canup, que atuou como WR em algumas jogadas, e um field goal do K Gabriel. No segundo quarto, o Flamengo virou com dois touchdowns do WR Vinny e do TE Cebola, 14 a 10. O Imperadores voltou a ampliar a vantagem com Cebola, mas o Patriotas não deixou o adversário se distanciar, Shaw passou para Lipe anotar mais um touchdown, 21 a 16.  

No último quarto, o Flamengo voltou a marcar com Vinny e o Vasco com Rômulo, deixando a partida em aberto. Com pouco tempo no relógio, Joshua conseguiu interceptar o QB americano KC Frost e deixou o ataque na linha de 36 jardas do campo de ataque, mas Shaw foi interceptado pelo LB Ival Maziero, decretando a vitória do rival, 28 a 23. Após perder a invencibilidade na temporada, o Patriotas viajou até Minas Gerais e derrotou o Minas Locomotiva por 55 a 3, com touchdowns do WR Rudá (2x), WR Marcelo Mattos (2x), RB Caio Vidal, WR Lipe e LB Pablo (2x). 

O primeiro jogo dos playoffs foi contra o Tubarões do Cerrado e o Vasco passou sem dificuldades. Com touchdowns do RB Rômulo (2x), S/WR Joshua Canup, RB Caio Vidal, TE Roni, S Juan Angelo e WR Rudá, o time carioca venceu por 47 a 0 e avançou. Na semifinal, não teve vida fácil contra o Paraná HP, vencendo por 13 a 3, com touchdowns do WR Lipe e do RB Rômulo Ramos. 

A final 

Na sua terceira final nacional, o adversário era o T-Rex, time que estava invicto e dono do melhor ataque e da segunda melhor defesa da competição. O Patriotas começou dominando as ações e terminou o primeiro período vencendo por 14 a 0, com dois touchdowns marcados pelo WR Rudá. O Rex tentou uma reação no início do segundo quarto e conseguiu anotar um touchdown corrido com o QB Jordan Boykin, seguido de uma conversão de dois pontos. A reação durou pouco, logo em seguida o quarterback Lucas Shaw lançou para o Joshua Canup e definiu o placar no primeiro tempo, 21 a 8 para o Patriotas. 
O início do terceiro quarto foi marcado pelos turnovers, o Boykin, foi interceptado por André Luís e Lucas Shaw por André Bertling, que retornou para o touchdown e diminuiu a desvantagem dos catarinenses, 21 a 14. O Patriotas teve chances de ampliar, mas foi o Rex que ampliou e passou a frente no placar. Mais uma vez Boykin fez uma bela conexão e Diego Luiz entrou na end zone, seguido por uma conversão de dois pontos.  

Nesse ponto, o jogo ficou dramático e o Patriotas fez um drive perfeito. O time foi avançando com passes curtos de Shaw, foi se aproximando da end zone e a defesa do Rex segurou até onde conseguiu. Faltavam 4 segundos, a bola estava na linha de 20 jardas e toda responsabilidade foi para o kicker Ryan Homem, que garantiu a virada e o título para o time vascaíno. 

A quarta final nacional 

Em busca do bicampeonato, o Vasco Patriotas enfrentou o Botafogo Reptiles na estreia do Torneio Touchdown de 2015. Sem dar chances para o rival, o Patriotas venceu por 41 a 0. Os touchdowns da partida foram marcados pelo WR Lipe, WR Rudá (2x), LB Slaxis, WR Laurindo Barbosa e S Joshua Canup. Na segunda partida, o adversário foi o Tubarões do Cerrado, que não ofereceu riscos ao time da casa. Com touchdowns do WR Lipe (3x) e RB Rômulo Ramos, o Vasco venceu por 31 a 0. 

Na terceira partida, o Vasco enfrentou o Flamengo Imperadores e a história foi diferente das partidas anteriores. O Patriotas começou avassalador e explorou as falhas na secundária flamenguista, chegando ao touchdown com o RB Leduc na primeira campanha. Na sequência, o Vasco voltou a pontuar com o WR Rudá e o RB Rômulo Ramos. O Imperadores diminuiu com um field, 21 a 3. 

O Flamengo voltou melhor no terceiro quarto e marcou seu primeiro touchdown com o QB KC Frost, seguido de uma conversão de dois pontos. No último quarto, o Vasco voltou a marcar com o TE João Pedro, mas o Flamengo não se entregou, marcou dois touchdowns com o TE Cebola e recuperou um onside kick, mas não conseguiu a virada, 28 a 26 para o Vasco. Essa foi a primeira vitória do time vascaíno frente ao rival na história. 

Contra o Minas Locomotiva, o Patriotas voltou a dominar as ações com facilidade e venceu por 45 a 0 com touchdowns do TE João Pedro, WR Tiago Barbosa, WR Lipe, WR Pedro Cardoso e RB Rômulo Ramos, além de dois safeties do DT Costão. 

Na reedição da final de 2014, o Vasco enfrentou o T-Rex e perdeu sua invencibilidade. As duas defesas estavam dominando a partida, realizando interceptações e impedindo o avanço dos ataques, fazendo com que o primeiro tempo terminasse zerado. O QB Lucas Shaw não estava em um bom dia e foi interceptado diversas vezes. Após uma interceptação do FS Andrew Bernardini, o QB Bassani conectou um passe para touchdown com o WR Marcos Spiess. Pouco depois, aumentou a diferença com um passe para o WR Guilherme. O Vasco tentou se recuperar, mas Shaw continuava sendo interceptado e o jogo terminou 12 a 0 para o T-Rex. 

Contra o Santos Tsunami, o Vasco definiu o placar no primeiro quarto. O Tsunami saiu na frente com o RB Joc Crawford, mas o Patriotas virou com o WR Rudá e dois touchdowns corridos do RB Rômulo Ramos, 21 a 6. O Santos diminuiu a vantagem com o RB Pichu e uma conversão de 2 pontos no terceiro quarto, mas parou por aí, Patriotas 21 a 14. 

Contra o Tritões, o Vasco voltou a não ter vida fácil. O time carioca saiu na frente com o WR Lipe, mas desperdiçou um field goal e viu o Tritões empatar com o RB Alex Allen “Train” e virar com o WR Pedro Medici. No último quarto, o Patriotas empatou com o RB Rômulo Ramos, mas o ataque sofreu um fumble pouco tempo depois e o Tritões voltou a liderança com uma corrida do QB Álvaro Fadini. Em mais um erro do ataque, Shaw foi interceptado e Alex marcou mais uma vez para os capixabas. No fim da partida, o Vasco pontuou com o WR/S Joshua Canup, 27 a 19 para o Tritões. 

Nos playoffs, enfrentou mais uma vez o Paraná HP e não foi fácil vencer os paranaenses. No primeiro quarto, o Vasco saiu na frente com o TE JP Fabres e aumentou no segundo com um field goal do K Ryan. A defesa do HP conseguiu equilibrar as ações e o time paranaense começou a dominar a partida. O K Lucas Copi acertou dois field goals e o HP teve a chance de virar, mas o CB Samuel interceptou o QB Elijah Freeman e sacramentou a classificação vascaína. 

O adversário na semifinal era o Tritões, mas dessa vez a história foi diferente. O Vasco saiu na frente com o RB Rômulo Ramos, que recebeu passe do QB Lucas Shaw, e o Tritões empatou com o WR DeMarco. No segundo quarto o equilíbrio se manteve, o Patriotas marcou com o FB Favorito e o Tritões empatou com o RB Alex Allen “Train”. O Vasco voltou para o segundo tempo melhor na defesa e conseguiu dominar o restante da partida. A defesa do Tritões não conseguia para as corridas do RB Rômulo Ramos, que marcou dois touchdowns e garantiu a vaga para a final. 

Pelo segundo ano, Vasco Patriotas e T-Rex foram os finalistas do Torneio Touchdown. Dessa vez a final foi em Itajaí, pertinho de Timbó, e o Rex não deu chances para o Patriotas. O jogo começou bem disputado e no primeiro quarto o Rex anotou o touchdown com o WR Marcos Spiess. No segundo quarto, o Vasco acertou um field goal com Ryan, mas não conseguiu parar o forte ataque do Rex, que anotou mais um touchdown com Spiess, seguido de uma conversão de dois pontos do RB Clair José. O Rex foi para intervalo com a vantagem, 14 a 3, e definiu o jogo com um touchdown do Clair José no terceiro quarto e outro do WR Ivan Tonoli no último quarto. O Vasco tentou uma reação, mas o touchdown do WR Rudá não adiantou muita coisa. T-Rex campeão nacional pela primeira vez. 

A temporada de 2016 

Em 2016, as duas competições nacionais foram unificadas e aconteceu a Superliga Nacional. Na estreia, o Vasco Patriotas recebeu o Cabrito do Espírito Santo e não tomou conhecimento do seu adversário. Com touchdowns do WR Lipe, RB Anderson Lynch, RB Rômulo Ramos (3x), WR Silva, TE JP Fabres (2x) e S Juan Júnior, o Patriotas venceu por 62 a 0. Destaque para atuação do QB Daniel Gazelle, que assumiu a titularidade com a saída do americano Lucas Shaw. 

O jogo contra o Botafogo Reptiles começou equilibrado, o Patriotas abriu um placar com um touchdown corrido do RB Rômulo Ramos e o Reptiles empatou com o WR Loan, que recebeu um passe do QB Mamão. O Vasco voltou do intervalo mais concentrado e abriu uma grande vantagem com dois touchdowns, um do Rômulo e outro do WR Marcelo Mattos. No último quarto, o Patriotas voltou a marcar com o RB Caio Vidal e o Botafogo esboçou uma reação, mas Caio voltou a marcar e deu números finais a partida. 

Com vários desfalques, entre eles o RB Rômulo Ramos, o Vasco recebeu o Tritões e não conseguiu segurar os capixabas, que venceram por 34 a 7. O único touchdown vascaíno veio após o WR Marcelo Aragão receber um passe o QB Daniel. 

Contra o Minas Locomotiva, o Patriotas começou perdendo, mas logo assumiu a liderança com um field goal do K Leduc e um touchdown do LB Holyfield, após bloqueio de field goal. No terceiro quarto foi a vez do TE JP Fabres marcar seu touchdown, com extra point do Leduc, 16 a 7. No último quarto, o WR Marcelo Aragão recebeu um passe do QB Daniel para touchdown e Leduc acertou outro field goal. O Locomotiva diminuiu a diferença com mais um touchdown, mas não foi suficiente para a evitar a derrota por 26 a 15. 

Contra o Flamengo Imperadores, o Vasco voltou a não jogar bem e não segurou o ataque liderado pelo QB americano KC Frost, que correu para um touchdown, passou um para o WR Patrick Dutton e o RB Florêncio marcou o outro, 20 a 0 para o Flamengo. Com duas derrotas, o Patriotas precisava vencer o Santos Tsunami. Superior ao longo de toda a partida, o Vasco venceu por 39 a 0 com touchdowns do RB Caio Vidal, WR Lipe, WR Rudá, QB Daniel, WR Lucas Mello “Negueba” e DL Hugo Gomes “Bubba”. 

A partida contra o Tritões em Vila Velha foi um verdadeiro show dos ataques, que marcaram 83 pontos. Com muitas trocas de liderança, a partida foi resolvida nos minutos finais. Com pouco mais de três minutos para o fim, o QB americano Giorgio Bryant correu 8 jardas e virou a partida para o Tritões. O Vasco precisava de um milagre e só tinha 16 segundos no relógio para conseguir um. O QB Daniel Gazelle, que já tinha passado para quatro touchdowns, liderou a campanha e no final correu para o touchdown da vitória, 43 a 40. 

Nos playoffs, o Vasco Patriotas voltou a enfrentar o Flamengo Imperadores. O time cruz-maltino até saiu na frente com um field goal do K Leduc, mas parou por aí e foi completamente dominado pela forte defesa rubro-negra, que evitou mais pontos. Liderados por KC Frost, o Imperadores venceu por 43 a 3 e avançou na competição. 

O rompimento com o Vasco e o início do declínio? 

No dia 10 de junho, pouco menos de um mês antes do início da temporada, o Vasco Patriotas anunciou seu desligamento do Clube de Regatas Vasco da Gama, passando a se chamar somente Patriotas. Em nota, o time esclareceu que seu rompimento “NÃO é com o Vasco, instituição centenária, que muito nos orgulha e cuja Cruz de Malta defendemos briosamente durante 7 anos, sem receber um único centavo. Nosso rompimento é com a atual direção e suas práticas nefastas”

Na estreia da Brasil Futebol Americano (BFA), novo nome da principal divisão do futebol americano brasileiro, o Patriotas enfrentou o Tritões fora de casa e venceu o tradicional adversário por 24 a 18. O Patriotas saiu na frente com um touchdown corrido do TE JP Fabres e o extra point do K Yan Viana, mas logo o Tritões encostou com o americano Laparish Lewis. No final do segundo quarto, o QB Daniel Gazelle fez um passe para JP ampliar a vantagem 14 a 6. O Patriotas continuou superior no segundo tempo, mas Leonardo de Bortoli interceptou Gazelle e retornou para o touchdown. O QB carioca se recuperou e liderou o ataque em uma bela campanha, que terminou com uma recepção do WR Marcelo Aragão. No final da partida, Yan acertou um field goal e Felipe Alvarenga diminuiu para o Tritões. 

Contra o Flamengo Imperadores, o Patriotas foi superior o tempo todo. Com touchdowns do WR Marcelo Aragão, WR Pedro Aragão, QB Daniel Gazelle e um field goal do K Yan Viana, o Patriotas venceu por 30 a 16 e manteve a invencibilidade no torneio. 
Contra o Corinthians Steamrollers, o time manteve a boa atuação ofensiva e defensiva, vencendo por 30 a 6. Sem dar chances ao adversário, o Patriotas abriu uma vantagem de 24 a 0 no primeiro tempo e apenas controlou a partidas nos últimos quartos. Os touchdowns vascaínos foram marcados pelo RB Caio Vidal, WR Samuel Nascimento, WR Rudá, Rômulo Ramos e um field goal do K Yan Viana. O Steamrollers diminuiu com um touchdown do WR Douglas “Minhoca” Santos. Contra o Santos Tsunami, o Patriotas voltou a vencer tranquilamente por 42 a 0, mas a partida foi anulada no dia seguinte. O Santos escalou jogadores de forma ilegal na partida e foi expulsa da competição. 

O jogo contra o Sada Cruzeiro era um dos mais aguardados do ano. O time carioca era um dos cotados a bater o forte Sada, mas o time mineiro não encontrou muitas dificuldades para atropelar seu adversário. As defesas trabalharam bem nas duas primeiras campanhas, mas o ataque do Sada se sobressaiu na terceira e passou a não dar mais chances para o Patriotas, vencendo por 48 a 0. 
Nos playoffs, voltou a enfrentar o Tritões, mas dessa vez a história foi diferente. O Patriotas saiu na frente após pressionar o Tritões na end zone e recuperar um fumble com o CB Pedro Leão, seguido do extra point do K Yan Viana. Com oWR americano LaParish Lewis jogando de QB, o Tritões encostou com um touchdown do WR Cirilo. A virada veio com um field goal do K Marcelão, 9 a 7. 

No terceiro quarto, Cirilo recebeu mais um passe para touchdown, dessa vez do QB Altivo Ribeiro, o Tivim. O Patriotas tentou uma reação, mas a forte defesa capixaba impediu por diversas vezes o touchdown. No final, LaParish voltou para a posição de QB e conseguiu um correr 60 jardas para o touchdown, sacramentando a vitória do Tritões e a eliminação do Patriotas. 

A pior temporada da história 

A temporada de 2018 começou com o retorno do Patriotas para o Vasco e o anúncio da primeira edição do Campeonato Carioca. Na estreia do estadual, o Vasco enfrentou o Blaze e venceu por 73 a 7, com touchdowns do QB Daniel Gazelle (2x), RB Rômulo Ramos (3x), RB Leduc, LB Slaxis, WR Victor Hugo e do TE Igor Lessa. Na segunda partida, o Patriotas enfrentou o Dark Owls por 19 a 0, com touchdowns do S Juan Junior e do RB Caio Vidal. 

Contra o Flamengo Imperadores, os problemas começaram a aparecer. O ataque não teve um bom rendimento e a defesa não foi pior por causa da ineficiência do ataque adversário. O Vasco saiu na frente com um touchdown do LB Daniel Siqueira, que recuperou a bola após o time de especialistas bloquear o field goal flamenguista. O Flamengo empatou e levou a partida para a prorrogação. Com pouco brilho ofensivo, a partida foi decidida na segunda prorrogação, vitória do Flamengo por 12 a 6. 

Na final, os dois times voltaram a se enfrentar e até parecia uma continuidade da partida anterior. O Vasco abriu o placar com um belo passe do QB Daniel Gazelle para o WR Luiz Phillipp “Brown”, mas a resposta do Flamengo foi rápida. O QB Bernardo fez um passe de 82 jardas para o WR Raffael “Double” virar a partida. Com as duas equipes errando muito, a partida se definiu no terceiro quarto, quando o ataque vascaíno cometeu uma falta dentro da end zone, resultando em um safety para o Flamengo, decretando a vitória por 9 a 6. 

A primeira partida da BFA seria contra o Juiz de Fora Imperadores, mas o time mineiro desistiu da competição e o Patriotas venceu por W.O. Em São Paulo, começou perdendo para o São Paulo Storm, que acertou um field goal com o K Leo Marques e anotou um touchdown com o WR Célio Guilherme, 9 a 0 no primeiro tempo. No terceiro quarto, o ataque vascaíno começou melhor e diminuiu a diferenã com um touchdown corrido do QB Daniel Gazelle, seguido do extra point do K Yan, que também acertou um field goal para colocar o Vasco na frente. 

O Storm reagiu no último quarto e reassumiu a liderança com um touchdown do WR Edimário de Paula, mas sem ponto extra. O Patriotas foi para cima e virou na sequência com o WR Cristian Pinto “Crico”, seguido de uma conversão com o TE JP Fabres. O Storm tentou uma reação, mas a defesa vascaína segurou e garantiu a vitória. 

Na reedição da final estadual, o Patriotas enfrentou o Imperadores e a história foi diferente. O começo foi repleto de erros dos dois lados, o Vasco não avançava e o Flamengo sofria com os turnovers. O placar saiu do zero no segundo quarto com um touchdown do WR Kevin Antunes, mas sem extra point. O empate vascaíno veio no último quarto após Gazelle passar para Rômulo, que se livrou dos marcadores e entrou na end zone. No retorno de kickoff, o retornador Tomás tocou na bola e deixou ela livre para ser recuperada pelo CB Aníbal Franco, que correu para a end zone e virar a partida. Após a conversão, o Vasco venceu por 14 a 6. 

Contra a Portuguesa, o Vasco saiu perdendo após o K Buzz abrir o placar. O Patriotas chegou a liderança com um touchdown do TE JP Fabres. A Portuguesa reassumiu a liderança com dois touchdowns do WR Seiya e passou a dominar a partida. Na volta do intervalo o Vasco acertou um field goal, mas o time paulista aumentou com outro touchdown do Seiya. Sempre que o Patriotas ameaçava encostar, a Portuguesa anotava um touchdown e foi assim no último quarto. Gazelle fez um lindo passe para Rômulo entrar na end zone, mas na sequência o QB Catullo Goes encontrou Seiya mais uma vez. No final da partida, Gazelle passou para o WR Emilio marcar e deixar o jogo aberto, mas o próprio QB decretou a derrota vascaína ao ser interceptado nos minutos finais. 30 a 22 para a Portuguesa. 

Contra o Botafogo Reptiles, o ataque vascaíno até começou bem e anotou um touchdown com o WR Cristian Marinho, mas foi invalidado após uma falta. Sem conseguir avançar, o K Yan foi para o field goal e errou. Após sr interceptado duas vezes pela defesa vascaína, o QB Mamão fez um belo passe para o WR Loan Felisardo anotar o primeiro touchdown da partida. No terceiro quarto, Mamão passou para o WR Patrick Dutton aumentar a vantagem, 13 a 0.  

O Vasco esboçou uma reação com um touchdown do WR Luiz Phillipp Mitchell “Brown”, mas na sequência o extra point foi bloqueado e retornado para a end zone. Melhor na partida, o Botafogo marcou mais um touchdown com Dutton e um ponto extra com o K T-White. Correndo contra o relógio, o Patriotas passou a acionar sua principal arma ofensiva, o RB Rômulo Ramos, que marcou dois touchdowns e recolocou o Vasco na partida. Após interceptar o WR Loan que estava jogando como QB, o Vasco teve a chance de virar mas Gazelle foi interceptado pelo versáril Loan, que estava jogando de DB. Final de jogo, 22 a 18 para o Botafogo. 

Após a derrota para o Botafogo Reptiles, o Vasco precisava vencer o Galo FA e torcer por uma combinação de resultados. Em Belo Horizonte, o Patriotas não conseguiu parar o atual campeão nacional e perdeu por 59 a 0 e não se classificou pela primeira vez para os playoffs. 

Vasco Almirantes:  a fusão com o Botafogo Reptiles 

No dia 17 de janeiro de 2019, foi anunciada a maior fusão entre times do FABR, o Vasco Patriotas se uniu ao Reptiles e formaram o Vasco Almirantes. “Temos uma maior abertura dentro do Vasco (futebol) e por isso decidimos continuar sob o manto da equipe, mas com um novo nome – Almirantes”, explicou Marcelo Bruno, agora ex-presidente do Botafogo Reptiles. Marcel Dantas assume a presidência do novo time. “A união partiu de conversas entre as diretorias de Patriotas e Reptiles sobre como o Rio sempre foi um expoente do esporte no Brasil e perdemos terreno nos últimos anos. Tentando entender o contexto, vimos que tínhamos muita sinergia no entendimento do que é necessário para atingir um novo patamar no esporte no estado, então a fusão foi feita pensando em uma união de forças, não apenas dentro de campo, mas também fora de campo onde teríamos uma diretoria também mais forte e numerosa”, explicou Dantas.