LFA: a liga profissional brasileira que acabou antes de começar

O Brasil quase teve a sua primeira liga profissional em 2013. A LFA surgiu como uma liga completamente estruturada, o que fez com que muitos jogadores sonhassem com a possibilidade de viver do esporte. Mas antes de ter seu primeiro jogo, a liga acabou. A liga foi anunciada em junho, seu Draft aconteceu no dia 21 de julho e no dia 7 de outubro seu cancelamento foi anunciado.

Curte nosso conteúdo? Participe do nosso financiamento coletivo https://apoia.se/mapadofabr.

O motivo do cancelamento foi a perda de um dos patrocinadores, que nunca foi divulgado, inviabilizando a realização do torneio. A íntegra da carta divulgada pela LFA está no final da postagem.

Inicialmente, os organizadores adiaram os jogos para 2014, enquanto buscam um novo patrocinador interessado no projeto. A competição tem times de São Paulo, Rio de Janeiro, Cuiabá, Curitiba e Florianópolis inscritos.

Tentei resumir um pouco dessa história para vocês.

A liga

A estreia da LFA estava marcada para o dia 21 de setembro de 2013, mas pouco depois a data foi alterada para 9 de novembro. Na primeira temporada, a liga seria composta por seis equipes: Tropa SC (Florianópolis), Dínamo SP (São Paulo), Bandeira Paulista (São Paulo), Missão Paraná (Curitiba), Rio Atlântico (Rio de Janeiro) e Bravo Oeste (Cuiabá).

Os elencos dos times seriam escolhidos em um draft, bem no estilo da NFL, que aconteceu no dia 21 de julho. Cada time seria composto por 38 jogadores brasileiros e 7 americanos. Segundo os organizadores, “o sucesso da liga no longo prazo depende de sua capacidade de desenvolver o talento brasileiro para um nível internacional de elite, oferecendo um esporte de alta qualidade para os torcedores”.

A ideia era fazer uma mescla entre jogadores brasileiros e americanos com experiência internacional. Alguns nomes se tornaram muito conhecidos no Brasil. O James Springfield está quebrando OLs no Tubarões do Cerrado, Kenneth Joshen teve uma passagem pelo Cuiabá Arsenal e é olheiro certificado pela NFL no Brasil e o QB Matt Bassuener, que foi campeão com o Fluminense Imperadores em 2011.

Os times seriam dirigidos pelos melhores técnicos brasileiros e americanos, com experiência nos EUA e Europa. Os coachs americanos escolhidos foram: Gregory Booth, que teve passagem pelo Coritiba Crocodiles; Tony Simmons, experiência em vários times da NFL; Clayton Lovett, que foi bicampeão nacional com o Cuiabá Arsenal e é o atual Coordenador Defensivo da seleção.

Experiência do gameday

A LFA nasceu com um compromisso de oferecer uma experiência de entretenimento esportivo aos torcedores. Esta experiência incluiria oferecer instalações de nível internacional, com segurança, conforto e divertimento, assim como entretenimento de alto nível para quem for assistir de casa.

Todos os jogos da primeira temporada seriam disputados na Arena LFA, em São Paulo. As instalações incluiriam o primeiro campo oficial permanente de Futebol Americano de grama sintética do Brasil, assim como a construção de uma arena temporária com capacidade para 4.344 espectadores. A ideia era que os torcedores aproveitassem o conforto de uma área VIP, música ao vivo, e atividades cativantes, além de comida e bebida deliciosas.

Proposta da Arena LFA

A parceria com a CBFA

No dia 15 de dezembro de 2012, a Assembleia Geral da AFAB aprovou a transformação da entidade em CBFA. No mesmo evento, a CBFA também anunciou a parceria de investimento envolvendo o Brasil Onças, firmada com a Brazen Sports Ventures, empresa por trás da LFA. Pelo acordo, a Brazen assumiria as despesas e a operação da Seleção Brasileira, enquanto a CBFA passaria a ser remunerada pela cessão dos direitos de imagem da Seleção.

O draft

O formato escolhido para o draft foi o snake, onde a ordem se inverte a cada rodada. Por exemplo, o Missão Paraná tinha a 6ª escolha da primeira rodada e ficou com a 1ª escolha na segunda rodada. Assim por diante.

Seriam 228 escolhas, mas os times poderiam optar por não escolher jogadores no draft. As vagas restantes seriam preenchidas em seltivas em suas cidades. No total, 1.345 jogadores enviaram highlights, 186 foram escolhidos no dia do draft e 42 vagas ficaram em aberto.

Os jogadores brasileiros foram divididos em duas categorias: Regional Fixo e Regional Flex. Se o jogador tivesse a disponibilidade de realocação fora do seu território, então foi considerado atleta Regional Flex. Se não quiser a realocação, então foi considerado Regional Fixo.

Para organizar, foram criadas “regiões”: São Paulo I e II (Estado de São Paulo), Rio de Janeiro (Estado do Rio de Janeiro), Curitiba (Estado do Paraná), Cuiabá (Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) e Florianópolis (Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Exemplo: Se o jogador residia no Mato Grosso do Sul e optou por não estar disponível para mudar de região, a sua região é Cuiabá, ou seja, você tem que se mudar para a capital do Mato Grosso para jogar pela sua região. Caso tenha optado por estar disponível para mudar de região, poderia ser escolhido por todas as regiões da LFA.

Se o jogador residisse em uma região do país que não está entre os territórios da LFA (Ex. João Pessoa) e quer jogar, ele seria considerado um atleta Livre, ou seja, pode ser escolhido por qualquer franquia.

ESCOLHATIMENOME DO JOGADORPOSIÇÃOCIDADE
1Rio AtlânticoLoan FelisardoWRRio de Janeiro
2Tropa SCRafael JunckesWRFlorianópolis
3Bravo OesteIgor MotaLBCuiabá
4Dínamo SPBruno da SilvaDLSão Paulo
5Bandeira PaulistaRafael PedronDESão Paulo
6Missão ParanáBruno SantucciRBCuritibia
7Missão ParanáFred TaurusRBCuritiba
8Bandeira PaulistaDhiego TaylorOTSão Paulo
9Dínamo SPLeandro FratinniWRSão Paulo
10Bravo OesteAndrei VargasDTCuiabá
11Tropa SCGerson SantosLBFlorianópolis
12Rio AtlânticoFelipe SodreDBRio de Janeiro
13Rio AtlânticoMarcelo BrunoWRRio de Janeiro
14Tropa SCVinicius ZanonDESanta Maria
15Bravo OesteHanay GoncaloDBCuiabá
16Dínamo SPPedro PassarellaRBSão Paulo
17Bandeira PaulistaMateus BessaRBSão Paulo
18Missão ParanáDelmer ZoschkeDECuritiba
19Missão ParanáGuilhermo GulinWRCuritiba
20Bandeira PaulistaCezar BononiTESão Paulo
21Dínamo SPTarcisio LakatosOLSão Paulo
22Bravo OesteBruno LoeschkeWRCuiabá
23Tropa SCDouglas RodriguesQBSanta Maria
24Rio AtlânticoBernardo WolfDBRio de Janeiro
25Rio AtlânticoVitor VelosoDBJoão Pessoa
26Tropa SCIgor NeryLBJoão Pessoa
27Bravo OesteJose PezaoDBJoão Pessoa
28Dínamo SPGuilherme de JesusWRSão Paulo
29Bandeira PaulistaVandiz da SilvaCBSão Paulo
30Missão ParanáGuilherme BalaSCuritiba
31Missão ParanáDave WhiteheadOLSão Paulo
32Bandeira PaulistaVinicius GalloDTSão Paulo
33Tropa SCVitor VenegaOLRio de Janeiro
34Bravo OesteIcaro MoraesRBJoão Pessoa
35Tropa SCItalo MingoniOLBelo Horizonte
36Rio AtlânticoEverton AnteroTEJoão Pessoa
37Rio AtlânticoRonaldo PimentelOLRio de Janeiro
38Tropa SCElio JacobDTFoz do Iguaçu
39Bravo OesteLenin CalderaDTJoão Pessoa
40Dínamo SPAdam AraujoDLBelo Horizonte
41Bandeira PaulistaJonathas FracariLBSão Paulo
42Missão ParanáCezar DantasTECuritiba
43Missão ParanáKawan PivatoDTCuritiba
44Bandeira PaulistaPaulo GuimaraesWRSão Paulo
45Dínamo SPRoger Augusto ButzgeOLSanta Cruz do Sul
46Bravo OesteFlavio GouveaDBJoão Pessoa
47Tropa SCMatheus FerreiraWRRio de Janeiro
48Rio AtlânticoPablo LyraWRRio de Janeiro
49Rio AtlânticoFrancisco RussoOLRio de Janeiro
50Tropa SCMarcos Jose MarianoOLRio de Janeiro
51Bravo OesteGabriel JulioOLVitória
52Dínamo SPEduardo MendesLBBlumenau
53Bandeira PaulistaHenrique MontilaOTSao José do Rio Preto
54Missão ParanáAdan RodriguezWRCuritiba
55Missão ParanáReinaldo Gotinha MachadoDTCuritiba
56Bandeira PaulistaCaio TorresOLSão Paulo
57Dínamo SPWellington BrandaoDLBelo Horizonte
58Bravo OestePablo MagalhaesLBJoão Pessoa
59Tropa SCAnderson SilvaOLRio de Janeiro
60Rio AtlânticoBernardo WernerQBJoinville
61Rio AtlânticoLeonardo MontardeQBRio de Janeiro
62Tropa SCFelipe BerschLBSão Paulo
63Bravo OesteFelipe JardimOLJoão Pessoa
64Dínamo SPDouglas PaesLBSão Paulo
65Bandeira PaulistaJeff HendersonWRSão Paulo
66Missão ParanáYohhan SouzaOTCuritiba
67Missão ParanáJoe RogerWRCuritiba
68Bandeira PaulistaFrancisco FurioDESorocaba
69Dínamo SPLucas PassariniOLSao José do Rio Preto
70Bravo OesteJuliano FariaWRBelo Horizonte
71Tropa SCWellington AraujoDBCuiabá
72Rio AtlânticoPaulo Cesar JuniorLBRio de Janeiro
73Rio AtlânticoLucas MarquesWRRio de Janeiro
74Tropa SCCarlos SeveroDLFortaleza
75Bravo OesteElvis CavaleiroWRCampo Grande
76Dínamo SPVagner GevergiOLSão Paulo
77Bandeira PaulistaCauan SilvaQBSão Paulo
78Missão ParanáCleverson KvasDBCuritiba
79Missão ParanáJoao CaviquioloDBCuritiba
80Bandeira PaulistaFelipe SonegoDBSao José do Rio Preto
81Dínamo SPHelton GenerosoLBSão Paulo
82Bravo OesteDaniel PereiraQBCuiabá
83Tropa SCFernando GarciaWRCuiabá
84Rio AtlânticoWolfgang SchumaccherLBVila Velha
85Rio AtlânticoBruno PW JucaDLRio de Janeiro
86Tropa SCBernardo LobaoDBRio de Janeiro
87Bravo OesteLudiney CorreaLBCuiabá
88Dínamo SPCristofer SantosDBSão Paulo
89Bandeira PaulistaAnderson ForatoDBBauru
90Missão ParanáHenrique RochaDBPonta Grossa
91Bravo OesteThiago PradoLBCuiabá
92Tropa SCVitor CardosoDBBrasilia
93Rio AtlânticoRomulo RamosRBRio de Janeiro
95Tropa SCFernando GrossCSanta Maria
96Bravo OesteAtila HugoOLCuiabá
97Bravo OesteLeonardo GoulartDTCuiabá
98Tropa SCGhylerme SilvaDBFlorianópolis
101Tropa SCThiago FariasTEJaragua
102Bravo OesteHigino DuarteLBCuiabá
103Tropa SCThiago Pumba RodriguesLBSao José
105Tropa SCJoao Paulo RamosRBFlorianópolis
106Tropa SCAndre LangTEBlumenau
110Rio AtlânticoBernardo SantanaRBRio de Janeiro
111Tropa SCPaulo TorquatoDBFlorianópolis
112Bravo OesteMatias StoccoDECuiabá
113Dínamo SPRodrigo MelatiDBSão Paulo
114Bandeira PaulistaDaniel BraulinoDTSão Paulo
115Missão ParanáAlexandre BragaLBCuritiba
116Missão ParanáRodrigo ColeteWRCuritiba
117Bandeira PaulistaLaercio ChocolateTESão Paulo
118Dínamo SPWanderson AraujoDBSão Paulo
119Bravo OesteRaulin LealWRCuiabá
120Tropa SCWalter VieiraOTFlorianópolis
121Rio AtlânticoGabriel TordoyaWRBelo Horizonte
122Rio AtlânticoRafael Gigante MenezesDLRio de Janeiro
123Tropa SCGiovani SouzaCBJoinville
124Bravo OesteJose TeotonioDBCuiabá
125Dínamo SPThiago HonorioOLSão Paulo
126Bandeira PaulistaIago ZerboneDBSão Paulo
127Missão ParanáHenrique PuccaOGCuritiba
128Missão ParanáLucas MulletRBCuritiba
129Bandeira PaulistaAlan GiamasRBSão Paulo
130Dínamo SPLincoln da SilvaLBSão Paulo
131Bravo OesteFabio KlabacherOLCuiabá
132Tropa SCJose AtalibaDEJurerê
133Rio AtlânticoPedro SchuabDLRio de Janeiro
134Rio AtlânticoTadeu LotuffoDLRio de Janeiro
135Tropa SCFelipe Belo AndradeWRFlorianópolis
136Bravo OesteWel GarciaRBCuiabá
137Dínamo SPBruno MelatiRBSão Paulo
138Bandeira PaulistaRenato GrassiotoLBSão Paulo
139Missão ParanáJohnny BatistaCBCuritiba
140Missão ParanáEduardo Bisnaga VianaLBCuritiba
141Bandeira PaulistaPedro PinheiroOLSão Paulo
142Dínamo SPWellington DonatoWRSão Paulo
143Bravo OestePaulo Cesar RodrigoOLCuiabá
144Tropa SCDaniel SchneiderDTJoinville
145Rio AtlânticoMarcos KlienDBRio de Janeiro
146Rio AtlânticoRaiam SantosKRio de Janeiro
147Tropa SCRicardo CoelhoRBFlorianópolis
148Bravo OesteJadson SantanaDECuiabá
149Dínamo SPOtoniel AlvesRBSão Paulo
150Bandeira PaulistaMarcelo TarifaDTSão Paulo
151Missão ParanáRomulo TuleskiDECuritiba
152Missão ParanáMaycon RodriguezQBCuritiba
153Bandeira PaulistaRoberto SpinelliQBSão Paulo
154Dínamo SPLeandro BoamorteDLSão Paulo
155Bravo OesteJoao Kleber CarvalhoOLCuiabá
156Tropa SCDouglas ElesbaoWRSanta Maria
157Rio AtlânticoPedro WolfDBRio de Janeiro
158Rio AtlânticoLucas LotufoLBRio de Janeiro
159Tropa SCLeonardo Muniz AraujoOLFlorianópolis
160Bravo OesteWalter MonteiroTECuiabá
161Dínamo SPMarcio Ferreira JuniorQBSão Paulo
162Bandeira PaulistaFernando VasconcelosOLSão Paulo
163Missão ParanáGuilherme LuzTECuritiba
164Missão ParanáRodrigo Maximus ZandonaLBCuritiba
165Bandeira PaulistaDenis FerreiraDESão Paulo
167Bravo OesteMaickon PereiraDBCuiabá
168Tropa SCWilliam AlbertonOLFlorianópolis
169Rio AtlânticoVinicius MalavoltaLBRio de Janeiro
170Rio AtlânticoBruno Sapo RosaDBRio de Janeiro
171Tropa SCRobson SilvaLBCorupá
172Bravo OesteDaniel TeixeiraRBCuiabá
174Bandeira PaulistaTiago ArrudaDBSão Paulo
175Missão ParanáMateus LuzCBCuritiba
176Missão ParanáDaniel C SantosOTCuritiba
177Bandeira PaulistaMarcos RosaOLSão Paulo
179Bravo OesteMichael AronaTECuiabá
184Bravo OesteRoger GarciaDECuiabá
186Bandeira PaulistaRoberto GrunpeterWRSão Paulo
187Missão ParanáAlexandre Gilmar OliveiraRBCuritiba
188Missão ParanáVitor SequinelCCuritiba
189Bandeira PaulistaLuis AlvesWRSão Paulo
191Bravo OesteMarcelo RoversiQBCuiabá
194Bravo OesteRoberto Vetrin PintoDECuiabá
196Bandeira PaulistaLucas SalomeRBSão Paulo
197Missão ParanáFabio Logan OliveiraRBCuritiba
198Missão ParanáJefferson Bauer LourencoRBCuritiba
199Bandeira PaulistaBruno SangalettiDTSão Paulo
201Bravo OesteLuis Fernando DuarteOLCuiabá
206Bandeira PaulistaWisner CesarLBSorocaba
207Missão ParanáCleverson KvasCBCuritiba
208Missão ParanáAlan ParisLBCuritiba
209Bandeira PaulistaLuis SalmasoOLSão Paulo
216Missão ParanáAndre WelnerDECuritiba

Paridade econômica e esportiva

Segundo a LFA, “Uma das chaves para desenvolver o interesse no esporte e um público para a LFA é o conceito de jogos disputados. Como prática observada em diversas ligas esportivas em todo o mundo, a LFA garante que cada time tenha os mesmos recursos financeiros para contratar atletas e técnicos. Esta ideia contrasta fortemente com a maior parte das ligas de esportes profissionais no Brasil. O propósito de garantir paridade econômica é oferecer um sistema que coloque todos os times em equilíbrio na sua busca por construir o time mais competitivo possível. Vitórias e derrotas serão determinadas pela preparação e execução de atletas e técnicos não por mais acesso a recursos.”

Sobre os salários dos jogadores, eles seriam estipulados de acordo com a categoria do jogador. Se ele era Franchise, ganharia mais que um Gold. Veja a tabela com as categorias e número de jogadores para cada uma:

Tipo de VagaBandeira PaulistaBravo OesteTropa SCMissão ParanáRio AtlânticoDínamo SPTotais
Franchise Plus5915510549
Franchise10101010101060
Gold Level231913231823119
International77777742

Documentário “Primeira pro Fim”

Produzido por Anderson Spessatto e Leonardo Lorenzoni em 2016, o documentário conta a história da tentativa de profissionalização do futebol americano no Brasil.

Os produtores conversaram com diversas pessoas que participaram da iniciativa, como o QB e diretor de operações da LFA, KC Frost, e os jogadores Victor Hugo, Bruno Santucci, Vinicius Zanon, Vinicius Araújo, Leandro Fratini e Adan Rodriguez.

Nota de cancelamento

A Liga de Futebol Americano vem comunicar que a temporada de 2013, programada para se iniciar em novembro, não será realizada. Devido à desistência de um importante investidor da primeira rodada de capital, fomos obrigados a adiar a temporada para 2014. Nos próximos dias a LFA e a Brazen anunciarão que atividades ainda ocorrerão este ano e qual o formato que o projeto da Liga tomará ao longo do ano que vem.

Há cerca de dois anos, a LFA vem sendo desenvolvida por um grupo de idealistas que acreditam no futebol americano e, por isto, colocaram suas vidas num sonho que muita gente acha impossível: criar uma liga profissional no Brasil sem política, amadorismo ou ataques pessoais.

Em junho, conseguimos fechar a rodada inicial de investimentos, que nos traria até o início da temporada e viabilizaria a realização da segunda rodada, já programada e em avançado estágio de negociação. Todas as frentes estavam perfeitamente alinhadas e em dia: acordos de mídia fechados, local e construção da arena negociados, atletas recrutados e americanos com vistos emitidos e até um primeiro patrocinador global (também patrocina a NFL).

No final de setembro, fomos surpreendidos pela decisão de foro íntimo de um de nossos investidores-âncoras de não participar mais da primeira rodada de investimentos, mesmo depois de já ter se comprometido com o projeto. Na prática, isto acarreta mais do que um atraso no cronograma. Como há um prazo para a realização do projeto e compromissos assumidos, não víamos a possibilidade de em tão pouco tempo substituir alguém de tanto peso e fundamental para o projeto. Insistimos o quanto foi possível, buscamos alternativas. Nós, os sócios atuais, fomos ao limite das nossas economias pessoais para manter a chama acesa até que uma decisão fosse tomada.

Na quinta-feira, 3/10, recebemos a negativa final do investidor.

Talvez o projeto não fosse bom o suficiente. Talvez nos tenha faltado alguma competência. Sinceramente não foi o que ouvimos de emissoras (recebemos propostas de cinco canais de TV por assinatura ou aberta para transmitir a Liga, além de duas das maiores plataformas globais de distribuição de conteúdo digital), investidores (tivemos feedback positivo de mais de 10 grupos), parceiros (entidades, produtoras, agências, fornecedores) e patrocinadores (temos hoje conversas avançadas com nada menos que 15 marcas interessadas na Liga), que acreditaram na LFA. Em comum, uma impressão: nunca haviam visto um projeto tão profissional e tão bem estruturado no mercado brasileiro do esporte – não somente no futebol americano, diga-se.

Da IFAF, vimos mais do que o interesse do desenvolvimento do esporte no Brasil, mas o vislumbre de um modelo econômico que poderia ser replicado em outros países para que o futebol americano pudesse ocupar seu merecido espaço como esporte global.

Mas nenhum apoio se compara ao que recebemos da comunidade do futebol americano. Mais de 50 mil pessoas correram para acompanhar nossa página no Facebook em três semanas. Mais de 520 atletas estiveram presentes aos Combines e aqueles que consideramos os 66 melhores estiveram conosco num histórico training camp da Seleção Brasileira em Limeira, no final de abril. Cerca de 1.400 atletas se inscreveram para jogar na Liga. Mesmo nos Estados Unidos, chegamos a entrevistar 120 atletas. De outros países como Japão, México e Portugal, recebemos pedidos de atletas por uma chance de participar.

Pessoalmente, é um dia muito triste para nós – como acho que deve ser para tanta gente que acalentou a esperança de que o futebol americano profissional no Brasil não fosse um sonho, mas uma realidade atingível. Nós seguimos acreditando que é, apesar do percalço que tivemos na nossa trajetória, e continuaremos trabalhando para que seja.

Não obstante, veremos gente celebrando, como se o atraso no esporte fosse uma vitória a ser comemorada por mais do que alguns poucos. A profunda divisão do futebol americano amador e a visceralidade tóxica como algumas pessoas se atacam em público certamente tiveram um papel em dificultar o caminho. Tivemos que vencer a resistência inicial de muita gente e vimos investidores e patrocinadores serem afugentados pela impressão negativa que tinham do produto que está disponível hoje.

Hoje estamos adiando o projeto e trabalhando nas alternativas. Somente faremos anúncios de novas atividades quanto tivermos certeza de que os recursos para tais estão absolutamente seguros, para evitar transtornos como os já ocorridos.

Acima de tudo, daremos todo o apoio que nos for possível àqueles que estiveram do nosso lado nesta jornada que, apesar de não chegar ao final deste ano como planejamos, tem sido de uma riqueza inestimável pelo caráter e pela qualidade das pessoas que conhecemos e que dividiram o sonho conosco.

Contamos com a compreensão de todos aqueles que acreditam que vale a pena fazer mais pelo nosso esporte.

Cordialmente,

Liga de Futebol Americano