América Locomotiva

O início

A história do América Locomotiva começou em 2004, quando um grupo de belorizontinos, que se conheceram na Lista Redzone (lista de discussão criada em 1998 pelo André José Adler, que na época era narrador da ESPN Internacional), resolveram se juntar para jogar futebol americano.

Um primeiro encontro foi marcado ainda em 2004 na Savassi, mas o comparecimento foi baixo, o que aconteceu em outras ocasiões. As chamadas peladas cresceram aos poucos e contava com 20 pessoas em outubro de 2005, quando surgiu a necessidade de dar um nome para o time. Assim foi oficialmente fundado o BH Goldminers, o primeiro time de futebol americano de Minas Gerais. Com o crescimento do time, uma mudança de identidade era necessária para difundir o esporte. Entre os diversos nomes cogitados, Jacarés do Pantanal e Minas Locomotiva eram os favoritos.

O segundo nome, uma referência à história de Minas Gerais, remetendo a suas linhas ferroviárias, foi o escolhido e a mudança aconteceu no dia 18 de março de 2006. Os treinos passaram a acontecer no Parque Ecológico da Pampulha e o time começou a pensar em competições.

O primeiro torneio

Através de vaquinhas e doações de particulares, o time adquiriu seu primeiros cones, bolas e outros equipamentos necessários para a prática do esporte. O time apenas treinou nos primeiros dois anos de sua existência e a estreia aconteceu em setembro de 2007 bem longe de Belo Horizonte.

O Minas Locomotiva viajou mais de 30 horas de ônibus e disputou a primeira edição do Pantanal Bowl em Cuiabá/MT. Ainda jogando sem equipamentos de proteção, o Locomotiva realizou sua primeira partida no dia 7 de setembro contra o Ilha Avalanche, que já tinha participado de duas edições do tradicional Carioca Bowl. Mesmo jogando contra um time mais experiência, o time mineiro conseguiu jogar de igual para igual e perdeu por 12 a 6. Na segunda partida, enfrentou os donos da casa e não tiveram chances, o Cuiabá Arsenal venceu por 35 a 0.

Após duas derrotas, o Locomotiva ainda podia terminar a competição na segunda colocação, mas precisava de uma combinação de resultados: o Arsenal deveria ganhar do Avalanche e o Locomotiva dos Federais (equipe formada por jogadores de São Paulo, Brasília, Morrinhos, Manaus e Rio de Janeiro). Os anfitriões ganharam dos cariocas de 23 a 0 e o time mineiro fez sua parte.

A primeira vitória do Minas Locomotiva aconteceu no dia 9 de setembro de 2007, no Estádio Eurico Gaspar Dutra, o Dutrinha, e o placar foi 28 a 8. Com esse resultado, o Minas ficou com a segunda posição em seu primeiro campeonato.

O futebol americano se espalhou por Minas Gerais aos poucos e o Locomotiva enfrentou seu primeiro adversário no estado, o Arcos Pegasus. O primeiro jogo entre as equipes aconteceu no dia 27 de janeiro de 2008 e entrou para a história como o primeiro jogo de futebol americano em Minas Gerais. O jogo foi muito disputado, mas no final a experiência do Minas fez a diferença e o time da capital venceu por 28 a 21.

O próximo desafio do Locomotiva foi a Copa Vienne em Vilha Velha e ali nasceria uma grande rivalidade contra os anfitriões. O primeiro jogo aconteceu no dia 21 de março de 2008 e o adversário foi o Vila Velha Tritões. A defesa dos capixabas não deu espaços para o Locomotiva jogar e o time da casa venceu por 12 a 0, com um touchdown do running back Frog, um field goal do kicker José e um safety do defensive end Teco.

No dia seguinte enfrentou a Seleção Carioca, um combinado de jogadores dos times que disputavam o Carioca Bowl, e perdeu por 54 a 7, com destaque para a atuação do running back carioca Thiaguinho, que anotou dois touchdowns. Pelo Locomotiva, o defensive end Marreta marcou o touchdown e Gustavo confirmou o extra point. Na última partida da Copa Vienne, enfrentou o Espírito Santo Federals, combinado de jogadores de outros times do estado. O Minas Locomotiva se impôs e venceu o Federals por 22 a 0, com touchdowns fullback Silva, do halfback Herman, do quarterback Gabriel Tordoya e um safety do Breno.

Na semana seguinte, o Minas Locomotiva voltou para Belo Horizonte e enfrentou o Tubarões do Cerrado. O jogo aconteceu no Centro Esportivo Universo e foi o primeiro jogo realizado na capital mineira. O Tubarões voltou para Brasília com a vitória e deu início a uma longa tradição de amistosos entre as duas equipes.

O primeiro título

O primeiro jogo de 2009 aconteceu no dia 31 de maio em Ipatinga contra o Ipatinga Atroz. Com mais experiência, o Locomotiva dominou as ações e venceu por 22 a 0, com touchdowns do quarterback Abraão Coelho, do wide receiver Gabriel Tordoya e do running back Haddad. O kicker Aurélio “Hines” acertou um field goal e a secundária do Locomotiva conseguiu quatro interceptações.

O segundo amistoso foi contra o Uberlândia Lobos, no que ficou conhecido como o I Desafio do Triângulo. A inexperiência do Lobos não tornou a partida mais simples para o Locomotiva, o time de Uberlândia jogou com raça e lutou até o final. Abraão e Tordoya foram os destaques do Minas, que venceu por 19 a 7.

A estreia no Campeonato Mineiro aconteceu no dia 6 de novembro, em Ipatinga, e o adversário foi o Ipatinga Atroz, que não foi páreo para o Minas Locomotiva, 25 a 3. No dia seguinte, foi a vez de enfrentar o Juiz de Fora Red Fox e vencer mais uma vez, 26 a 0. Na segunda rodada, que aconteceu em Belo Horizonte nos dias 1 e 2 de novembro, o Minas Lomovotiva venceu o Uberlândia Lobos por 21 a 6 e o Ipatinga Atroz por 28 a 0, sangrando-se campeão mineiro de 2009.

O primeiro torneio nacional

Após o término do Campeonato Mineiro, o Minas Locomotiva conseguiu se equipar e estava pronto para estrear em competições full pad. O time mineiro se filiou à Liga Brasileira de Futebol Americano (LBFA), mas era necessário ganhar experiência com os equipamentos. No dia 25 de abril, foi até Brasília e disputou seu primeiro jogo equipado contra o Tubarões do Cerrado, que venceu o Minas por 9 a 0.

Na estreia da Liga Brasileira, o Locomotiva enfrentou o Fluminense Imperadores, que venceu o Torneio Touchdown, primeiro torneio nacional, em 2009 como Rio de Janeiro Imperadores. O time carioca começou melhor e após oito corridas consecutivas, anotou seu primeiro touchdown com o running back Hulk. O ataque do Locomotiva não conseguia avançar e a defesa cedia espaço para o Imperadores, que aumentou a diferença com uma corrida do quarterback Diogo.

A defesa do Minas Locomotiva começou a se ajustar e interceptou Diogo, mas o ataque não correspondeu e devolveu a bola para os tricolores, que ainda tiveram tempo para marcar um field goal no final do segundo quarto, 17 a 0. No terceiro quarto, a defesa do Locomotiva interceptou Diogo pela segunda vez e o ataque passou a dar mais chances para seu jogo corrido, conseguindo anotar seu primeiro touchdown equipado com o fullback Boizera. O Minas não teve tempo para continuar a reação, Hulk correu 41 jardas para o touchdown e o wide receiver Vinnie fechou o placar, 31 a 6.

Na segunda partida, o Locomotiva recebeu o Sorocaba Vipers, que começou vencendo com um touchdown corrido do running back Caio Luís, logo após o time sorocabano recuperar um fumble do Locomotiva. O dia parecia não estar bom para os mineiros, que viu o quarterback Gabriel Tordoya se machucar e seu substituto, Rafael Luís, ser interceptado em uma de suas primeiras tentativas de passe. Os rumos da partida mudaram quando o Guto Michel recuperou um fumble e Rafael correu para virar o jogo. Boizera foi bem sucedido na conversão de dois pontos, 8 a 6.

O segundo quarto foi caracterizado pelos turnovers das equipes, o Locomotiva conseguiu duas interceptações e o Vipers recuperou um fumble. Antes do intervalo, o Minas aumentou a vantagem com um touchdown do running back Markin, 15 a 6. O placar não se alterou na segunda parte do jogo, o Locomotiva estava gastando o relógio  e o Vipers errando e cedendo turnovers. Destaque para as duas interceptações do safety Bruno Matarelli e outra do cornerback Rodrigo Mazzarolo.

Contra o Corinthians Steamrollers, o Locomotiva continuou sem seu quarterback titular e começou perdendo. O wide receiver Rafael Yamamoto abriu o placar, mas o Locomotiva empatou logo na sequência. No segundo quarto, o quarterback americano KC Frost correu e anotou mais um touchdown, 14 a 7.

No terceiro quarto, o Locomotiva sofreu um safety após um bad snap e KC levou o time mais uma vez até a end zone, dessa vez com um belo passe. No extra point, o kicker Mococa recuperou um bad snap e marcou o ponto após um drop kick. Antes do final da partida, o Steamrollers voltou a marcar com o tight end Vagão, em mais um safety de snap errado e em um retorno de punt do Daniel Santos, fechando o placar em 39 a 7.

Locomotiva e Tubarões voltaram a se enfrentar, desta vez em Belo Horizonte pela Liga Brasileira, e a partida foi bastante equilibrada e com defesas dominantes. O Locomotiva continuou sofrendo com os turnovers e o Tubarões se aproveitou de um deles. Após recuperar um fumble, o defensive end Brutus retornou para o touchdown, com conversão do extra point. O Locomotiva empatou com o tight end Xandão, mas o kicker do time não conseguiu converter o extra point. O time da casa ainda tentou uma virada, mas parou na defesa candanga, 7 a 6 para o Tubarões.

A segunda partida contra o Sorocaba Vipers aconteceu na casa do adversário e foi completamente dominado pelas defesas. O único touchdown da partida veio após um passe de 30 jardas do quarterback Jhonathan para o wide receiver André Moss, 7 a 0 Vipers. Já desclassificado, o Locomotiva recebeu o Fluminense em Santa Luzia e não foi páreo para o time carioca. Com touchdowns do Mateus Hulk (2x), Cebola, Fernando “Palito”, Loan e Vinny, o Imperadores venceu por 48 a 0.

A temporada de 2011

No início de 2011, o Minas Locomotiva disputou a terceira edição do Desafio do Triângulo e conquistou o bicampeonato após vencer o Ribeirão Preto Challengers por 29 a 26 e o Uberlândia Lobos por 24 a 7.  Ainda se preparando para a segunda temporada da Liga Brasileira, o Locomotiva enfrentou o Tubarões do Cerrado em mais um amistoso, dessa vez em Belo Horizonte. A partida foi muito disputada até o final e, pela primeira vez, o Minas venceu por 19 a 16.

Na estreia da Liga Brasileira, voltou a enfrentar o Fluminense Imperadores, que não deu chances para os mineiros. Com touchdowns do Hulk (2x), Loskar, Miranda e Vinny, o Imperadores venceu por 40 a 0. Na segunda partida em casa, o Locomotiva recebeu o São Paulo Spartans e comandou as ações.  O primeiro touchdown do Minas veio após o retornador do Spartans não segurar a bola após um punt. Após recuperar a posse em boa posição de campo, bastou Abraão lançar para Tordoya marcar seu touchdown, mas sem coversão do extra point. O time da casa voltou a pontuar após mais um erro do retornador paulista, mas dessa vez resultou em um safety, 8 a 0.

O Spartans empatou a partida após um fumble sofrido pelo running back Markin, recuperado e retornado até a end zone pelo cornerback Guilherme Zanfelice. Na conversão de dois pontos, o quarterback Peninha passou para Roberto Grumpeter, empatando a partida. As defesas dominaram a partida, mas após um belo drive comandado pelo Abraão Coelho, o Locomotiva conseguiu anotar um field goal e vencer a partida, 11 a 8.

Na primeira partida contra o São Paulo Storm, o Locomotiva viajou até São Paulo e encontrou uma defesa difícil de ser batida. O Storm saiu na frente na sua primeira campanha, liderada pelo quarterback Gustavo Urlacher e finalizada elo tight end Cesar “V8″ Bononi. O Locomotiva tentou uma reação, mas a forte defesa paulista barrava todas as tentativas e em duas oportunidades Abrãao foi interceptado pelos safeties Anderson Forato e Felipe Grocke. Antes do final do primeiro tempo, o Storm aumentou a vantagem com um field goal de 20 jardas do kicker Vinny.

O Storm voltou a marcar após uma ótima corrida do running back Mateus “Manning” Bessa, 16 a 0. O Locomotiva estava variando bastante suas jogadas e até mudou de quarterback, mas  entrada do Felipe Althoff, não surtiu muito efeito. O jogo corrido do Storm estava difícil de ser parado e Alan Giamas aumentou a vantagem após mais uma corrida, 22 a 0. No último quarto, o ataque do Locomotiva fez sua melhor campanha e chegou ao seu touchdown com Althoff, fechando o jogo em 22 a 7.

Na segunda partida entre Locomotiva e Storm aconteceu em Belo Horizonte, mas diferente do anterior, o jogo foi bastante equilibrado e terminou com a vitória do Storm por 19 a 16. Contra o Fluminense Imperadores, o Locomotiva não teve reação contra o forte elenco carioca, que venceu por 46 a 6 com touchdowns do Bernardo Wolf, Mateus Hulk (2x), Vinny, Ivan Roichman  e Daniel Puruko. Pelo Locomotiva, o americano Vitor Tolbert conseguiu um touchdown e o kicker Negão errou dois field goals.

Já eliminado, viajou até São Paulo para enfrentar o São Paulo Spartans e a partida foi marcada pelas inúmeras trocas de posse de bola e a forte chuva que encerrou o jogo prematuramente. O touchdown da vitória veio com uma corrida do quarterback Abraão Coelho.

O bicampeonato mineiro

Após duas temporadas sem a realização do Campeonato Mineiro, os times do estado se organizaram e criaram a Federação Mineira de Futebol Americano (FEMFA) e disputaram a primeira edição full pad do campeonato.

Na estreia do Mineiro, o Locomotiva recebeu o Ipatinga Tigres, que saiu na frente com um touchdown. A reação do Locomotiva foi imediata e o time da capital acertou um field goal. A virada veio no segundo quarto com um passe do quarterback Felipe Althoff para o wide receiver Nascimento. No terceiro quarto, a defesa do Minas não permitia grandes avanços e ataque voltou a marcar com uma corrida do Abraão e outra do running back Boizera. No final, Althoff lançou para o wide receiver Daniel e fechou o placar, 29 a 6 para o Locomotiva.

Na segunda rodada, viajou até o Sul de Minas para enfrentar o Pouso Alegre Gladiadores e não encontrou dificuldades para vencer, mesmo com a forte chuva. O jogo começou com o ataque do Minas alternando corridas com Abraão, Guimarães e Boizera, que entrou na end zone. As defesas começaram a se sobressair e os times começaram a alternar as posses de bola, até que Abraão fez uma corrida pela lateral e anotou mais um touchdown. No ataque seguinte, o Gladiadores sofreu um fumble, recuperado e retornado para o touchdown pelo Brandão, finalizando o primeiro tempo.

Na etapa complementar, a defesa do Gladiadores conseguiu deter o ataque liderado por Althoff, mas não por muito tempo. O quarterback estava em uma situação difícil, era uma segunda para quase 30 jardas e estava prestes a ser sacado, mas mesmo assim encontrou o wide receiver Nascimento livre e fez um passe de cerca de 40 jardas. Na sequência, Althoff passou para Tordoya e aumentou a diferença. No último quarto, Abraão fez uma bela corrida e anotou seu segundo touchdown. No final da partida, um safety foi marcado contra o Gladiadores, finalizando a partida em 37 a 0.

Contra o Uberlândia Lobos, o Locomotiva começou atrás do placar após um field goal bem sucedido dos donos da casa. O Locomotiva não se intimidou e, após um belo passe de Althoff para o wide receiver Juliano, virou a partida, 6 a 3. As defesas equilibraram o jogo e os ataques pouco fizeram no resto da partida. Pouco antes do two minute warning, o Lobos conseguiu alguns raros avanços e acertou mais um field goal, empatando a partida.

Com pouco tempo no relógio, o Locomotiva conseguiu avançar o suficiente para chutar um field goal. O kicker Alvarenga, que estava substituindo Boizinho, que saiu machucado, não conseguiu acertar um chute de 40 jardas, levando a partida para a prorrogação. Com um elenco reduzido, só 35 jogadores viajaram, o cansaço abateu o time da capital, que precisou de um esforço extra para mais uma campanha. Com mais uma ótima corrida do Abraão, o Locomotiva conseguiu seu touchdown e bastava frear o ataque mandante, algo que não foi impossível para os 14 jogadores de compunham a defesa naquele jogo.

Na partida de volta contra o Ipatinga Tigres, o Minas Locomotiva não deu chances para seu adversário e venceu por 35 a 0. Contra o Pouso Alegre Gladiadores, dessa vez em Belo Horizonte, o Locomotiva dominou desde a primeira posse e não decepcionou as quase mil pessoas presentes. O time da capital pontuou em quase todas as posses de bola e venceu com tranquilidade, 54 a 0, ficando bem próximo do título.

Na última partida, o Locomotiva podia perder por 7 pontos que ainda seria campeão. Diferente do primeiro confronto em Uberlândia, o Lobos não conseguiu igualar as ações o Locomotiva conquistou o bicampeonato estadual após vencer por 42 a 6.

Pela primeira vez nos playoffs nacionais

Empolgado pela conquista estadual, o Locomotiva estreou no Campeonato Brasileiro contra o Spartans em São Paulo. O jogo foi bastante disputado e terminou com a vitória dos mineiros, 9 a 0. Na segunda partida, enfrentou um velho carrasco, Fluminense Imperadores, e vendeu muito caro a vitória. O Locomotiva saiu na frente após Nascimento receber um passe do quarterback Felipe Althoff e um field goal do kicker Negão, 9 a 0. Ainda no primeiro, o Imperadores diminuiu a diferença com um touchdown. Na etapa final, o Locomotiva chegou a mais um touchdown, mas começou a errar muito e o Imperadores se aproveitou para virar a partida, vencendo por 22 a 15.

Contra o Serra Cabritos, o Locomotiva abriu o placar logo no início da partida com uma corrida do quarterback Abraão. A defesa do Minas dominou completamente o time adversário, forçando um safety e realizando uma interceptação, retornada para o touchdown por Rafael Polamalu.A diferença foi aumentada com duas corridas, uma do fullback Boizera e outra do Abraão, finalizando a partida em 29 a 0.

Para confirmar a boa fase, o Locomotiva enfrentou o Brazil Devilz em Contagem e foi o visitante que surpreendeu. Com um ataque bem versátil e cheio de trick plays, o time da capital paulista liderou a partida até o último quarto. O placar estava 27 a 13 para o Devilz e uma virada parecia improvável, mas a defesa conseguiu segurar o ataque paulista e o time ofensivo mineiro marcou três touchdowns, virando a partida para 34 a 27, ficando a um passo da classificação para os playoffs.

Em busca da inédita classificação, o Minas Locomotiva viajou para Serra/ES e enfrentou o Cabritos. O ataque do Locomotiva foi preciso, defesa quase impecável e o time voltou para Minas Gerais com a classificação para os playoffs. Na última partida da fase de grupos, foi para o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense Imperadores. O Locomotiva saiu na frente com um field goal, mas não conseguiu impedir o ataque carioca, que com touchdowns do Pestana, Marcelo e Loan, o Minas perdeu por 26 a 9.

São Paulo Storm e Minas Locomotiva deveriam ter se enfrentado no dia 12 de outubro de 2012, mas a partida nunca aconteceu. O Storm solicitou o adiamento da partida por  causa das fortes chuvas na cidade de São Paulo e o pedido foi acatado pela AFAB e Minas Locomotiva, sendo a partida remarcada para o fim de semana seguinte, dia 21. Na véspera da segunda data, foi a vez do Locomotiva solicitar o adiamento por “pela falta de condições do ônibus”, mas não foi acatado e o W.O. foi decretado. Confira as notas da AFAB e do Minas Locomotiva.

A primeira temporada no Torneio Touchdown

O Campeonato Mineiro não foi realizado em 2013 e Minas Locomotiva se concentrou na sua estreia no Torneio Touchdown. A estreia aconteceu no dia 1 de junho, em Vitória, contra o Antares. Debaixo de um Sol escaldante, os ataques de ambos os times não conseguiram desenvolver grandes jogadas e as defesas dominaram sem grandes dificuldades. O 0 a 0 persistiu até o final da partida, levando o jogo para a prorrogação. O Minas Locomotiva chegou a vitória com um field goal do kicker Luiz Carlos, 3 a 0.

Contra o Vasco da Gama Patriotas, as defesas voltaram a dominar a partida e os dois times acabaram optando pelo jogo terrestre, que não surtiu muito efeito. No segundo quarto, o excesso de faltas prejudicou muito o andamento das jogadas do Locomotiva e o time viu o quarterback Roni acertar um raro passe para o wide receiver André Luiz marcar o único touchdown da partida. No terceiro quarto, o quarterback Abraão conseguiu alguns avanços com as pernas, mas as faltas faziam o Locomotiva recuar e o time não conseguiu reagir. Final, 7 a 0 para o Patriotas.

Precisando se recuperar, o Locomotiva enfrentou o Tubarões do Cerrado em Belo Horizonte e dessa vez o ataque funcionou melhor. O ataque do Minas começou sua primeira campanha na linha de 45 jardas e avançou o suficiente para o kicker Boizinho acertar o field goal e abrir o placar. Se o ataque começou bem, a defesa continuou com a mesma pegada das partidas anteriores, muito agressiva e consistente, não dando chances para o ataque candango desenvolver suas jogadas. Ainda no primeiro tempo, as duas equipes desperdiçaram um field goal.

O placar permaneceu inalterado até o último quarto, quando o Tubarões sofreu um fumble e o Locomotiva recuperou. Com o ataque em ótima posição de campo, a dupla Abraão/Tordoya tratou de anotar o primeiro touchdown da partida. Antes do término da partida, Boizinho acertou mais um field goal e garantiu a vitória.

Na quarta partida, o Locomotiva viajou mais de 1.700 quilômetros para enfrentar o Porto Alegre Bulls. O Locomotiva chegou ao seu primeiro touchdown após um bad snap do time de especialistas do Bulls, iniciando seu drive na linha de 4 jardas do ataque. Sem muitas dificuldades, o quarterback Abraão passou para o wide receiver Lobisomen abrir o placar. O time mineiro aumentou a diferença com uma bela corrida de 63 jardas do Abraão, 13 a 0. O ataque do Bulls não conseguia passar pela boa defesa do time mineiro, sendo forçado a devolver a bola em diversas oportunidades.

O Locomotiva poderia ter ido para o intervalo com uma vantagem maior, mas Abraão foi interceptado duas vezes pelo cornerback Paulot e uma pelo Douglas. A defesa mineira interceptou Canaan Rice uma vez com o cornerback Chamone.

No segundo tempo, o Bulls voltou bem mais agressivo e obteve resultados. Após uma corrida pelo meio do Junior Colman, o time gaúcho anotou seu primeiro touchdown na temporada, sem conversão de extra point. Logo na sequência, o retornador do Locomotiva não segurou a bola e o wide receiver Luis recuperou a bola para o Bulls e correu até a end zone. Na tentativa de conversão de dois pontos, o Bulls sofreu um safety e garantiu mais dois pontos para o Locomotiva. O último quarto foi marcado pelas faltas e turnovers, fazendo com que o placar não se alterasse, confirmando a vitória do Minas por 15 a 12.

No clássico mineiro contra o Uberlândia Lobos, o Locomotiva não deu chances para o time do Triângulo Mineiro. Com uma defesa impecável e um ataque mais preciso que nos jogos anteriores, o Minas venceu por 35 a 0 e estava muito próximo de se classificar para os playoffs. A partida contra o Vitória All Saints não aconteceu no dia 19/10 por causa da partida entre Betim e Santa Cruz, válida pela série C do Campeonato Brasileiro, que foi transferida para a Arena do Jacaré na mesma data e horário em que estava marcada a partida, forçando seu cancelamento. Na nova data, 02/11, o time baiano ficou impossibilitado de comparecer e o Locomotiva venceu por W.O.

Na última partida da fase de grupos, enfrentou o Brasília V8 em casa e não tomou conhecimento do seu adversário. Com touchdowns do Abraão (2x), Pimenta (2x), Tordoya, Matarelli, Juliano e Paranhos, o Locomotiva venceu por 53 a 7 o V8, que diminuiu a diferença com o wide receiver Pedro Macedo. Com cinco vitórias e uma derrota, a segunda melhor defesa e o nono melhor ataque da competição, o Minas Locomotiva se classificou para os playoffs como um dos favoritos ao título.

De fato nos playoffs

Em sua primeira partida de playoffs, o Minas Locomotiva viajou até Vila Velha para enfrentar o Tritões e proporcionou aos presentes um verdadeiro espetáculo. Era o duelo entre o quarto melhor ataque da competição (Tritões) e a segunda melhor defesa (Minas Locomotiva), que começou melhor e conseguiu bons avanços, mas desperdiçou o field goal no primeiro drive da partida. O poderoso ataque capixaba não conseguiu avançar no primeiro quarto, ao contrário dos visitantes, que abriram o marcador com um passe de Abraão para Tordoya, 7 a 0. A vantagem poderia ter sido maior, mas o ataque mineiro não soube aproveitar a boa posição conquistada após a interceptação do cornerback Rizola.

No segundo quarto, o ataque do Tritões se ajustou e chegou ao seu primeiro touchdown com o wide receiver Danilo. A resposta do Locomotiva foi imediata, Abraão passou para o wide receiver Fernando Torres, que entrou na end zone. Antes do primeiro tempo encerrar, o Minas aumentou sua vantagem com um field goal do kicker Boizinho, 17 a 7.

No terceiro quarto, começou sua reação com um touchdown do wide receiver Danilo, mas o Locomotiva devolveu na mesma moeda, o quarterback Abraão correu e entrou na end zone, aumentando a vantagem para 24 a 14. Nesse momento a secundária capixaba entrou em ação e interceptou Abraão por duas vezes, ambas com o safety Trapa, que foi decisivo para o resultado final da partida. O Tritões encostou ainda no terceiro quarto com um touchdown wide receiver Vinicius, 24 a 20, e assumiu a liderança com uma corrida do fullback Manoel no último quarto.

O Locomotiva tentou reassumir a liderança, mas Abraão foi interceptado novamente, dessa vez pelo linebacker Victor Thomé, que retornou para o touchdown, garantindo a vitória do Tritões por 33 a 24.

2014: a repentina queda

Na estreia do Torneio Touchdown de 2014, o Locomotiva viajou até Santos para enfrentar o Santos Tsunami e saiu na frente com um touchdown corrido do running back Marco Gheller, o Markin. A resposta do Tsunami foi imediata, Fagner Martins recebeu a bola após o kickoff e correu até a end zone. O time santista aumentou a vantagem com o wdie receiver Luis Aquino, após o defensive linemen Boi interceptar o quarterback Abraão. No terceiro quarto, Douglas Borges aumentou a vantagem santista e o Minas Locomotiva descontou com o wide receiver Juliano, 21 a 12. O Locomotiva tentou uma reação, mas ela foi freada pelo touchdown do tight end Felipe Bruno. O Minas ainda marcou um touchdown com o wide receiver Tordoya, mas parou por aí, 27 a 18 para o Santos Tsunami.

Na segunda rodada, voltou a enfrentar seu algoz nos playoffs de 2013, o Tritões. O time capixaba estreou sua principal novidade para a temporada, o americano Nic Harris, que foi o ponto de desequilíbrio. Assim como na partida anterior, o Locomotiva saiu na frente com Chamone, que conseguiu retornar o chute de kickoff. O empate dos donos da casa veio após uma corrida do Nic Harris, mas o Minas respondeu na sequência, Abraão conectou um belo passe para Juliano colocar o time mineiro na frente do placar. Antes do final do primeiro tempo, Harris correu 15 jardas e empatou a partida, 13 a 13.

No terceiro quarto, a defesa do Tritões conseguiu parar as investidas do ataque mineiro, que viu o wide receiver Sales virar a partida e Nic Harris, jogando de safety, interceptar Abraão. O americano voltou a desequilibrar com outras duas corridas até a end zone, acabando com as pretensões de vitória do Locomotiva, 34 a 13

O próximo desafio não era simples, o Locomotiva recebeu o Jaraguá Breakers, atual campeão do Torneio Touchdown, e não foi páreo para o ataque liderado pelo quarterback Jackson Kestring, que fez dois passes para o touchdown, e para a forte secundária catarinense, que interceptou Abraão por quatro vezes, uma delas retornada até a end zone pelo cornerback José Castilho, 28 a 0.

Pressionado após três derrotas consecutivas, o Locomotiva viajou até Brasília e não conseguiu repetir a boa atuação da temporada anterior contra Brasília V8, que melhorou sua defesa e parou o ataque mineiro. O V8 abriu o placar com uma corrida do running back Ratata, que voltou a entrar na end zone no último quarto. No final, o kicker Guilherme Otaviano acertou um field goal e fechou o placar, 15 a 0.

Duas semanas depois, o Locomotiva voltou para Brasília e foi uma presa fácil para o Tubarões do Cerrado. Comandado pelo quarterback americano Kerry King, autor de dois touchdowns corridos, o ataque candango marcou 40 pontos com Muniz, Felipe Vargas, Hulk e Gera Negão. Pelo Locomotiva, destaque negativo para o enorme número de fumbles, foram quatro só do quarterback Maycon Dacazza, e para os diversos erros ofensivos.

Já eliminado, o Minas Locomotiva recebeu o Ipatinga Tigres, que chegou como favorito na partida por ter duas vitórias na competição. Dentro de campo o Locomotiva se mostrou superior e venceu com touchdowns do quarterback Maycon Dacaza, do defensive linemen Sérgio “Orc”, após recuperação de fumble na end zone, e do wide receiver Tordoya.

Na última rodada, enfrentou o poderoso ataque do Vasco Patriotas, o segundo melhor da competição. O Vasco abriu o placar com o wide receiver Rudá e aumentou a diferença, ainda no primeiro tempo, com o wide Marcelo Matos e o running back Caio Vidal. O Locomotiva anotou um field goal com Boizinho e o Patriotas só voltou a marcar no último quarto com Lipe, Pablo Chalfun (2x), Marcelo Matos e Rudá, vencendo por 55 a 3.

O último Torneio Touchdown

Após um ano ruim, o Minas Locomotiva estreou no Torneio Touchdown de 2015 contra o Tubarões do Cerrado em casa e não foi a estreia que o time esperava. O time de Brasília não precisou de muito tempo para abrir o placar, o running back Igor Nascimento entrou na end zone logo no primeiro drive. No primeiro ataque do Locomotiva, o defensive back André Luiz conseguiu um sack no quarterback Abraão dentro da end zone e aumentou a vantagem. O MInas tentou uma reação no segundo quarto, mas seu ataque foi parado duas vezes pelo André Luiz e pelo linebacker Pedro Nakamura, que interceptaram Abraão em duas oportunidades.

No terceiro quarto, o ataque aéreo do Tubarões começou a funcionar e o quarterback americano Kerry King passou para os wide receivers Fabrício Damário e Sedrick Pereira aumentarem a diferença. O Locomotiva diminuiu a diferença com o wide receiver Fabrício Henrique, mas não foi o suficiente para iniciar uma reação. No último quarto, o quarterback Filipe Alvim correu para um touchdown e fechou o placar, 29 a 6 para o Tubarões.

Pouco mais de um mês depois da estreia, o Locomotiva viajou para Caxias do Sul/RS e enfrentou o Juventude FA, atual campeão gaúcho. Com um show ofensivo, o Juventude venceu o Locomotiva por 61 a 34 e conquistou sua primeira vitória na história do torneio. Pelo time gaúcho, o wide receiver Diego Oliveira (3x), o running back Bruno Bortoluzzi (3x), o quarterback Tim Lukas e o free safety Willian Fellizari marcaram os touchdowns. O quarterback Daniel Fernandes e os wide receivers Victor Vilaça (3x) e Juliano Simão marcaram para o Locomotiva.

Na rodada seguinte o Locomotiva enfrentou o Rio Branco FA, que abriu o placar no início do segundo período com uma corrida de 70 jardas do wide receiver Rafael Fadini e ampliou a vantagem com um field goal do kicker Elvis Braga. Na volta do intervalo, o Locomotiva esboçou uma reação após o touchdown do wide receiver Victor Vilaça, mas os turnovers em momentos decisivos impediram uma virada. O Rio Branco aproveitou para aumentar a vantagem com o quarterback Tivim e com o running back Tivim. Para finalizar, Elvis acertou mais um field goal, 26 a 7 para o Rio Branco.

Assim como na temporada anterior, o Locomotiva não conseguiu segurar o forte ataque do Vasco da Gama Patriotas. Com touchdowns do JP Fabres, Tiago Barbosa, Lipe, Pedro Cardoso, Rômulo Ramos e Rudá, além de dois safeties do defensive tackle Costão, o Patriotas venceu por 45 a 0. Na sequência da competição, o Locomotiva perdeu para o Tritões por 43 a 0 e para o Botafogo Reptiles por 37 a 12.

Na última partida, enfrentou o Santos Tsunami em casa e começou atrás no placar. O wide receiver santista Luís de Almeida Aquino fez o primeiro touchdown da partida no segundo quarto, mas a resposta do Locomotiva foi rápida, o quarterback Abraão correu e entrou na end zone para empatar. A virada veio ainda no primeiro tempo, Abraão encontrou o wide receiver Juliano Simão livre para marcar o touchdown. A dupla Abraão-Juliano voltou a funcionar no início do terceiro quarto com mais um touchdown, 19 a 7.

O Tsunami não se abateu com a desvantagem e conseguiu a virada com touchdowns do quarterback Júnior e do defensive tackle Marcio Antônio, que estava dobrando no ataque, 20 a 19. Após o apagão defensivo, o Locomotiva se recuperou e virou a partida com o running back Pedro Henrique e uma conversão de dois pontos do Juliano Simão, vencendo a partida por 27 a 20.

O maior mineiro de todos os tempos

Após duas temporadas muito ruins, o Minas Locomotiva, a FEMFA e os demais times mineiros voltaram a organizar o Campeonato Mineiro. A estreia na competição aconteceu na Arena Independência contra o BH Eagles e foi histórico, não por ser o primeiro jogo em um grande estádio do estado, mas, principalmente, por ter sido o primeiro jogo da maior rivalidade de Minas Gerais.

Diante de 5.634 pessoas, o Locomotiva começou dominando todas as ações e marcou três touchdowns no primeiro quarto. A bola começou com o Eagles, mas um fumble no primeiro snap deixou o Locomotiva na redzone adversária. Dois snaps depois, o quarterback Gabriel Tordoya lançou para Juliano Faria abrir o placar. A defesa do Minas entrou em campo e rapidamente forçou o punt, deixando Tordoya e cia na linha de 37 jardas da defesa. O touchdown veio logo no primeiro snap, o agora running back Abraão Coelho correu 48 jardas, praticamente sem ser tocado e só parou na end zone.

Após o baque inicial, o Eagles conseguiu avançar e fazer boas jogadas, mas o quarterback Álvaro Fadini se precipitou e foi interceptado pelo cornerback Matheus Lisboa, que conseguiu retornar para o touchdown. O Eagles equilibrou a partida e chegou ao field goal e a um touchdown após uma corrida de 30 jardas do Fadini, indo para o intervalo perdendo por 21 a 10.

O Locomotiva voltou para o terceiro quarto abusando do jogo corrido e conseguiu marcar mais um touchdown com Thiago Paranhos. O Eagles voltou a diminuir a diferença com mais um touchdown corrido do Fadini e pressionou o Minas no último quarto com um touchdown corrido do Nascimento, deixando a partida em 27 a 24. Pressionado, o Locomotiva voltou a abusar das corridas e teve o resultado esperado, Abraão entrou mais uma vez na redzone e garantiu a vitória por 34 a 24.

Na segunda e última partida da fase de grupos, enfrentou o Timóteo Titans e venceu por 35 a 6. O Minas saiu na frente com um field goal do kicker Boizin, mas o Titans surpreendeu e virou com o wide receiver Daivson “Sagat” Gomes. A defesa do time de Timóteo estava conseguindo parar o experiente ataque da capital, forçando o Minas a puntear. A diferença diminuiu após João Vitor “Blade” forçar um safety no retorno de punt e a virada veio com uma corrida do Abraão. Antes do final do primeiro tempo, Boizin converteu o seu segundo field goal, deixando o placar em 15 a 6 para o Minas. O Locomotiva voltou do intervalo com outra postura e conseguiu aumentar a diferença com touchdowns do Blade e dos running backs Marco “Markin” Gheller e Abraão Coelho.

Nos playoffs, venceu com facilidade o Uberlândia Lobos, 49 a 3. O Minas Bowl aconteceu no dia 18 de junho de 2016 e entrou para a história do futebol americano brasileiro com um público de 8.720 pessoas, um dos maiores da história.

O Minas Bowl 2016

Diferente do último encontro entre as duas equipes, o Eagles começou melhor. A defesa conseguiu forçar um 3&out e deixou o ataque em ótima posição de campo. O ataque avançou bem, mas foi parado na linha de 2 jardas pela forte defesa do Locomotiva. O kicker Chaw acertou o field goal. Com muitos erros e faltas de ambos os lados, o placar permaneceu inalterado até o final do segundo quarto, quando o Eagles conseguiu forçar um safety. No drive seguinte, Fadini liderou o ataque do Eagles e conseguiu o wide receiver João Pedro Conrado na end zone, 12 a 0.

A defesa do Locomotiva voltou melhor e sacou Fadini duas vezes no primeiro drive, que precisou devolver a bola. Após o punt, o Locomotiva iniciou a sua campanha na linha de 40 jardas do ataque e chegou ao touchdown com Abraão. Fadini voltou a liderar uma boa campanha e foi parado pela segunda vez na linha de 1 jarda, após sofrer um fumble. Logo na sequência, a defesa do Eagles forçou mais um safety e o ataque foi parado mais uma vez na redzone pela defesa do Locomotiva. Chaw converteu mais um field goal, 17 a 6 para o Eagles.

A virada parecia improvável, principalmente após a contusão do quarterback Gabriel Tordoya, mas o Locomotiva correu atrás da desvantagem. Maycon Dacazza entrou e foi interceptado logo no seu primeiro drive, mas graças a mais uma boa atuação da defesa, o quarterback pode se redimir. Com passes curtos para o wide receiver Victor Vilaça e boas corridas dos seus running backs, o Minas chegou na redzone e Dacazza correu 13 jardas até a end zone para o touchdown, seguido de uma conversão de dois pontos em mais uma corrida do quarterback, 17 a 14.

A defesa do Locomotiva fez a diferença mais uma vez e não deixou o ataque do Eagles avançar. Após um bom retorno de punto do Chamone, o Locomotiva iniciou sua campanha na linha de 46 jardas da defesa. Com pouco tempo no relógio, o time precisava avançar rápido e chegou próximo do first down com uma corrida do Abraão. Segunda descida para 3 jardas na linha de 47 jardas do ataque, Dacazza optou por um passe curto para Vilaça, que escorregou, levantou, acelerou e virou a partida, 21 a 17.

Com pouco tempo no relógio e precisando marcar um touchdown, Fadini conseguiu levar o Eagles até o meio de campo, mas nesse momento a defesa do Locomotiva entrou em ação com mais um sack e uma interceptação do defensive linemen Brandão, que foi parado na linha de 1 jarda. O Locomotiva só precisou ajoelhar e comemorar o tricampeonato mineiro.

Após a conquista do Mineiro, o Locomotiva chegou embalado na Superliga Nacional, mas não conseguiu superar o Botafogo Reptiles em casa. A partida foi decidida nos minutos finais e o time carioca venceu por 35 a 33. Contra o Cabritos, antigo Rio Branco, o Locomotiva conseguiu se recuperar na competição e venceu por 26 a 0, com touchdowns dos wide receivers Daniel Fernandes e Juliano Faria, do running back Marco Gheller e do quarterback Abraão Coelho. Na rodada seguinte, o Locomotiva viajou até Santos para enfrentar o Tsunami. As defesas dominaram a partida e os ataques tiveram poucas oportunidade de realizar boas jogadas. No final, o Tsunami venceu por 15 a 7.

Contra o Vasco Patriotas, o Locomotiva saiu na frente com um touchdown do fullback Bulls. O Patriotas encostou com um field goal do kicker Leduc e virou após linebacker Holyfield bloquear um field goal e retornar para o touchdown. O Locomotiva teve a oportunidade de voltar a liderar no início do terceiro quarto, mas um fumble na linha de 1 jarda encerrou a campanha mineira. Na sequência, o quarterback Daniel Gazelle levou o ataque vascaíno ao touchdown com um passe para JP Fabres. No último quarto, o Vasco voltou a marcar com o wide receiver Marcelo e Leduc, que acertou mais um field goal. Abraão descontou no final e o Locomotiva perdeu por 26 a 15.

A partida contra o Botafogo Challengers foi cancelada após o time de Ribeirão Preto/SP desistir da competição, sendo declarado W.O. Na última rodada, o Locomotiva enfrentou o Tritões em Vitória e foi derrotado por 40 a 0, despedindo-se da competição.

2017: a pior temporada da história

O ano de 2017 começou com o anúncio da contratação do head coach americano John Booker, que comandou o UFERSA Petroleiros em 2015. A estreia do time na temporada aconteceu em março contra o Betim Bulldogs, válido pelo Campeonato Mineiro de 2017. Com touchdowns do Marco Gheller, Chamone (2x), Victor Vilaça, Abraão Coelho (2x), Rafael Fiuza “Bulls” (2x), Fernando Torres e João Vitor Pujoni, o Locomotiva venceu por 66 a 0.

Dias antes da realização da partida contra o Bulldogs, o Pouso Alegre Gladiadores se retirou da competição, alegando que, vai contra o entendimento do Gladiadores de como deve ser tratada a gestão do Futebol Americano. “decisões tomadas na última semana pela FEMFA e demais equipes participantes, alterando o regulamento do torneio”. O Minas Locomotiva se retirou da competição dias depois, alegando que “a fim de preservar o torneio, a despeito da perda de um dos participantes, fizemos todas as concessões possíveis, porém, quando solicitamos uma atitude recíproca dos envolvidos, inclusive através da manutenção da proposta de novo sorteio da tabela, não fomos atendidos.” No dia 10 de março, a FEMFA publicou uma nota informando o cancelamento do Campeonato Mineiro de 2017.

Para se preparar para a Brasil Futebol Americano (BFA), nova competição nacional, o Minas Locomotiva jogou um amistoso contra o Tubarões do Cerrado em Belo Horizonte. Com touchdowns do Sedrick Lima e Brunica, o Tubarões venceu por 15 a 14. Pelo Locomotiva, Abraão e Marco Gheller marcaram os touchdowns.

Na estreia da BFA, o Locomotiva enfrentou o Sada Cruzeiro, nova denominação do Eagles, em Nova Serrana, e perdeu por 42 a 0. O ataque do Locomotiva produziu pouco ao longo do campeonato e o time perdeu todas as demais partidas para Botafogo Reptiles, Lusa Lions, Tritões e São Paulo Storm, encerrando a temporada, pela primeira vez, sem vitórias na primeira divisão nacional.

2018: o ano da mudança

Ainda em 2017, mais precisamente no dia 28 de novembro de 2017, o Minas Locomotiva se associou ao América Mineiro e passou a se chamar América Locomotiva. A estreia da “nova” equipe aconteceu no dia  1º de abril, em Uberaba, contra o Uberaba Zebus, válida pelo Campeonato Mineiro.

O América Locomotiva entrou com um time jovem e cheio de novidades com relação a temporada anterior. O cornerback Vitinho interceptou o quarterback do Zebus no segundo snap e deixou o ataque do Locomotiva na linha de 38 jardas do ataque. Alguns snaps depois, o quarterback Gute fez um passe para o wide receiver Mesquita, que entrou na end zone, o kicker Ítalo acertou o extra point. No retorno, Ítalo arriscou um onside kick e recuperou a bola para o América, mas algumas jogadas depois sofreu um fumble e devolveu a bola para o Zebus, que não conseguiu avançar muito. No segundo quarto, o wide receiver Marcelo Matos “Pokémon” chegou ao touchdown após correr 70 jardas após o punt. Antes do intervalo, foi a vez do wide receiver Chamone marcar o touchdown, seguido de uma conversão de dois pontos do Mesquita.

No terceiro quarto, Gute fui interceptado e conseguiu tacklear o jogador do Zebus na linha de 11 jardas, mas ótima posição de campo não foi aproveitada pelo ataque. O Locomotiva voltou a marcar no início do último quarto após a defesa forçar um safety. Gute foi interceptado mais duas vezes na partida, na segunda, o jogador do Zebus sofreu um fumble no retorno e deu ao quarterback a chance de se redimir com um passe para Chamone. As secundárias continuaram brilhando, o cornerback Gabriel Cota interceptou o quarterback Rodrigo Antonielli, mas na sequência Gute foi interceptado novamente. No final, o running back Thiago Paranhos anotou mais um touchdown e fechou o placar, 37 a 0 para o Locomotiva.

Contra o Paraíso Miners, o Locomotiva não deu chances para o time visitante e mesmo com o quarterback reserva, Enzo Abrantes de 17 anos, venceu por 75 a 0, com touchdowns do Pokemon (2x), Paranhos, Marco Gheller (2x), Chamone, Vinicius Drumond, Humberto Drumond e Raphael Bretas.

Nos playoffs, enfrentou o Nova Serrana Forgeds, time que conta com diversos jogadores formados pelo Locomotiva. Os uniformes das duas equipes eram verdes, por isso o Forgeds precisou jogar com o uniforme da temporada de 2017 do Minas Locomotiva. Em momento algum o América cedeu o controle da partida para o jovem Forgeds, que se limitou a correr em quase todos os snaps. Com touchdowns do Chamone (2x), Jugurta, Paranhos, Gute, Jader e Enzo, o Locomotiva chegou a sua quarta final estadual.

No Minas Bowl, o América Locomotiva enfrentou o Galo FA, antigo Sada Cruzeiro e Eagles. O Galo saiu na frente com um touchdown de retorno do wide receiver Rudá, que correu mais de 70 jardas até a end zone. O ataque do Locomotiva não conseguia executar suas jogadas e passou o primeiro tempo punteando a bola. O Galo chegou ao touchdown novamente com Thiago, João Conrado e Moreno, indo para o intervalo com 31 pontos de vantagem.

No terceiro quarto, o ataque do América Locomotiva acordou e conseguiu uma boa campanha ofensiva, liderada pelo quarterback Gute e que terminou com o touchdown e a conversão de dois pontos do tight end Marcos Jugurta. O Galo voltou a ampliar a liderança com mais duas boas conexões do quarterback Álvaro Fadini para Thiago e Kikito. Após uma ótima campanha, o Locomotiva chegou a mais um touchdown com o wide receiver Marcelo Matos “Pokémon”. Para sacramentar a vitória, Fadini lançou para Rudá, que entrou na end zone pela última vez, 50 a 14 para o Galo FA.

A histórica BFA de 2018

A estreia na BFA aconteceu contra um velho conhecido, o Botafogo Reptiles, time que nunca perdeu para o Locomotiva. O time da casa começou forçando um 3&out e conseguiu avançar no ataque graças às faltas e a um turnover após um estranho punt do quarterback Gute. Com passes curtos e aos trancos e barrancos, o América abriu o placar com uma recepção do running back Marco Gheller, 6 a 0. O segundo quarto foi marcado pelas faltas e erros de ambas as equipes, limitando-se a uma boa campanha do Locomotiva que se encerrou com um field goal de 32 jardas do kicker ìtalo, 9 a 0.

O Reptiles reagiu no primeiro drive do terceiro quarto e marcou um touchdown com o wide receiver Patrick Dutton, que recebeu um passe do quarterback Ramon “Mamão”, 9 a 6. Os times continuaram com os erros e o Botafogo aproveitou uma de suas raras oportunidades para marcar mais um touchdown com o wide receiver Loan Felisardo, 13 a 9. Faltando menos de 1 minuto para o término da partida, o Locomotiva partiu para cima e Gute fez um belo passe para Pokémon, que deixou o time na linha de 40 jardas do ataque. Na última jogada, Gute é substituído pelo americano Talon Roggasch, que estava estreando na partida e jogou como wide receiver. Talon recebeu o snap, não viu recebedores e tentou resolver com as pernas, mas bateu no ofensive linemen Ribas e foi forçado a retroceder. Foi nesse momento que olhou para a end zone e encontrou Pokémon livre para marcar o touchdown da vitória, a primeira contra um time carioca.

Contra o Flamengo Imperadores, o Locomotiva sofreu bastante pressão da forte linha defensiva carioca e foi para o punt. Na tentativa de retorno, o gunner Mário Cabral conseguiu forçar um fumble, deixando o ataque em ótima posição de campo. Após muito erros de ambas as equipes, o placar só saiu do zero no segundo quarto, quando Talon encontrou Pokémon mais uma vez na end zone para o touchdown. O empate do Flamengo veio logo em seguida com um passe do quarterback Bernardo para o wide receiver Raffael “Double F”. Antes do intervalo, Talon passou para o wide receiver Juliano Faria aumentar a vantagem, 13 a 7.

No primeiro drive terceiro quarto, o Flamengo apostou nos passes curtos e nas corridas do running back Johnny Santos, conseguindo bons avanços. Já no campo de ataque, os cariocas assumiram a liderança após um belo passe de Bernardo para Yan Mundim, 14 a 13. As duas equipes começaram a se revezar no ataque e a recuperação do Locomotiva aconteceu no último quarto. Talon apostou nos passes curtos e foi ganhando território, até que se viu em uma 3º para 12 jardas na linha de 38 do ataque. Com muito tempo para lançar, o quarterback americano encontrou o wide receiver Chamone livre para marcar o touchdown, 21 a 14 após a conversão de dois pontos. Pressionado e com pouco tempo no relógio, o Flamengo conseguiu avançar e chegou até a red zone, mas o ataque foi interrompido por uma interceptação do linebacker JC Pimenta. Final, 21 a 14 para o América Locomotiva.

Na terceira partida, enfrentou o Galo FA e não foi páreo para o jogo corrido atleticano, liderado pelo americano Parris Lee, e para a forte defesa, com destaque para a atuação do Marcos Bunn, Duzão e Tuleba, que permitiram raros avanços do ataque americano. Com touchdowns do João Vitor Queixada, Vitor Hugo “Mega” (2x), Parris Lee (3x), Álvaro Fadini e Rafael Fadini (2x), o Galo venceu por 63 a 2.

A partida contra o Juiz de Fora Imperadores deveria ter acontecido no dia 15 de setembro, mas o time mineiro abandonou a competição antes do início, dando vitória por W.O. para todos os seus adversários.

Contra o Tritões, estava em jogo a liderança do grupo e o mando de campo nos playoffs. O Tritões saiu na frente com um touchdown do wide receiver Raphael Casagrande, mas o Locomotiva empatou na sequência com o wide Lucas Fonseca. No segundo quarto, o Tritões conseguiu um field goal com o kicker Pedriho e o quarterback Niko correu para anotar mais um touchdown. Antes do intervalo, o América diminuiu com um field goal do kicker Ítalo, 16 a 10.

Assim como no primeiro tempo, a defesa do Locomotiva estava sofrendo com os passes longos e Niko fez uma conexão de aproximadamente 70 jardas para Cirilo aumentar a diferença. Pouco tempo depois, o Locomotiva atravessou o campo em duas big plays e no terceiro snap, Talon correu pelo meio e diminuiu a diferença. A secundária do Locomotiva continuou pecando e cedeu mais um touchdown de aproximadamente 70 jardas para Cirilo aumentar a vantagem. 30 a 17. O Locomotiva ainda conseguiu mais um touchdown com Lucas Fonseca, mas não conseguiu a virada, 30 a 24 para o Tritões.

Contra o Corinthians Steamrollers, o Locomotiva não teve dificuldades para vencer. O jogo começou com Talon lançando para Pokemon abrir o placar. No drive seguinte, o quarterback corintiano fez uma leitura ruim e passou a bola para o cornerback americano Daniel Martins, que deixou o Locomotiva em seu ataque. Com boas corridas, o América chegou na red zone e Talon, mais uma vez, encontrou Pokemon na end zone. No ataque seguinte, o Steamrollers parou o ataque mineiro, mas o kicker Ítalo conseguiu anotar o field goal, 16 a 0.

No segundo tempo, a defesa do Locomotiva continuou segurando o ataque corintiano, forçando turnovers e interceptando o quarterback corintiano. O ataque não ficou atrás, Talon encontrou o wide receiver Lucas Fonseca na endzone e marcou mais um touchdown. Logo na sequência, o Locomotiva chutou o kickoff, o retornador do Corinthians não pegou a bola e o running back Bombeiro pegou a bola e anotou o touchdown.

Não demorou muito para o ataque do time americano voltar a campo e marcar mais um touchdown, Talon encontrou o wide Chamone, que não desperdiçou a oportunidade e anotou o quinto touchdown da partida. No final da partida, o quarterback Gute, entrou em campo e lançou para um touchdown, recebido pelo Lucas Fonseca, decretando o placar final, 43 a 6.

Playoffs de 2018

Assim como em 2013, o Locomotiva cruzou mais uma vez com o Tritões nos playoffs. O jogo começou às 10:29, devido a um atraso da ambulância, e sob o forte Sol da manhã, as duas defesas começaram a partida se impondo. Os ataques não ameaçaram e os times se revezaram nos punts. O segundo quarto começou zerado e com o Tritões na red zone, mas foi parado na linha de 1 jarda pela forte defesa do Locomotiva. No ataque seguinte, o Locomotiva conseguiu avançar e chegou na red zone capixaba, mas Talon foi interceptado. A primeira pontuação aconteceu alguns snaps depois, o Locomotiva recuperou a posse na linha de 1 jarda do seu campo e sofreu um safety. O primeiro touchdown aconteceu após mais um turnover do time americano, Talon lançou e foi interceptado pelo defensive back Junis, que retornou para o touchdown. Na posse seguinte, o Locomotiva foi forçado a puntear mais uma vez e o Tritões marcou mais um touchdown do wide receiver Danilo.

O primeiro tempo estava chegando ao fim, mas com pouco menos de 30 segundos no relógio, Talon foi interceptado mais uma vez e deixou o time capixaba em posição de field goal, que foi bloqueado e retornado para touchdown pelo defensive back Mário Cabral. O primeiro tempo terminou 15 a 7 para o time da casa e, graças as muitas faltas, durou cerca de 1 hora e 45 minutos.

Após o intervalo, os ataques voltaram bem e marcaram dois touchdowns cada. Weberton e Richard Monequi pelo Tritões e Pokemon duas vezes pelo Locomotiva. O time americano lutou, mas não conseguiu reverter a vantagem. Com isso, os capixabas venceram a partida por 30 a 19.